Bárbara Guimarães: a verdade de uma investigação jornalística

A capa da antepenúltima edição da SÁBADO fez-me recuar 16 anos, ao agosto de 2001 em que o Tal&Qual, semanário que então dirigia, se preparava para revelar que o anunciado casamento de Bárbara Guimarães com Manuel Maria Carrilho não poderia realizar-se porque a apresentadora da SIC havia contraído matrimónio na República Dominicana, em 1999, com Pedro Miguel Ramos.

A notícia chegara-me de fonte segura mas, a poucos dias da cerimónia anunciada com pompa, o advogado dos noivos ameaçou processar-nos, pelo que enviei um repórter a Punta Caña com a missão de trazer a prova documental de que Bárbara se encontrava casada.

No livro de registos notariais, a folha em causa fora rasgada, mas nos serviços centrais encontrámos a cópia desconhecida por quem fez sumir a outra página. Já com o nosso jornalista em Lisboa, publicámos a reportagem – e duplicámos as vendas – e o casamento não passou de um simples beberete.

A 1.ª página do T&Q de 9 de agosto de 2001 (em cima) e a da semana anterior, retirada sob a ameaça de um processo de milhões…

Recupero a história para que a cacha que conseguimos não seja atribuída a outros, como sempre tenta quem deturpa factos para ficar com os méritos de quem fez o trabalho. É a vida.

Parece que foi ontem, Sábado, 24AGO17

A certidão da Junta Central Electoral dominicana, de 7 de agosto de 2001, prova que Bárbara e Pedro se casaram a 26 de julho de 1999

 
 
Partilhar

Os comentários estão fechados.