Antero Henrique qual D. Quixote

Foi preciso que Duarte Gomes, um excelente árbitro, assinasse um mau desempenho e fosse premiado com um “muito bom”, para o foco  recair, enfim, nos chamados “observadores”.

Parece no mínimo surrealista que milhões de pessoas vejam um apitador espalhar-se ao comprido e que o sr. Vítor Pereira – que assiste igualmente em direto à transmissão das asneiras e tem, portanto, perfeita noção das mesmas – se guie, em nomeações futuras, pelo relatório de um freguês que conseguiu ver um jogo que não se disputou. É como se um juiz assistisse a um crime, confirmado por todas as testemunhas, e absolvesse no fim o criminoso porque alguém lhe escreveu uma carta a dizer que ele era muito boa pessoa…

Gostei de ver Antero Henrique, qual D. Quixote, esgrimindo. Como se nós, e especialmente “eles”, não soubéssemos que tem carradas de razão mas que tudo continuará na mesma.

Passe curto, publicado na edição impressa de Record de 13 abril 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.