Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Antena paranóica: toma lá 2 mil “Preços certos”

Numa emissão em direto, “O
Preço Certo” assinalou o programa 2 mil, com direito ao regresso de Cristina e
soltando Miguel Vital do eterno poleiro, dando-lhe um merecido espaço para
voar. Não houve outras novidades, apenas música e convidados numa festa que
levou ao rubro o público que encheu o pavilhão de Viseu, e que constituiu
também uma homenagem aos “construtores” de um caso sério de popularidade. O
resultado foram os 823 mil espectadores que Fernando Mendes e companhia deram à
RTP, como se nove anos no acesso ao horário nobre não tenham provocado
desgaste.

É verdade que o concurso
beneficia da catastrófica situação que a incompetência política impôs aos
portugueses, fartos de tanto abuso, tanta inépcia, tanta crise. E como ver um
telejornal se tornou quase num acto de masoquismo, os programas de divertimento
permitem fazer esquecer, por momentos que seja, as desgraças da vida,
funcionando como escape para o sofrimento.

“O Preço Certo” transporta
com ele a boa fé: a vontade de sobrepor a alegria à frustração. Como se poderia
rejeitá-lo?

Antena paranóica, publicado na edição impressa do Correio da Manhã de 10 março 2012