Antena paranóica: sociedade sem valores

A agressão da adolescente de 13 anos atraída a uma zona residencial de Benfica, mais do que um acto de pura brutalidade, constituiu nova demonstração da cobardia que hoje se desenvolve no “caldo” de uma sociedade que vai perdendo os seus valores.

A televisão, ao reproduzir do Facebook o vídeo da briga, tornou-a, para o bem ou para o mal, num acontecimento. Outros jovens sentirão vontade de realizar filmes com guiões semelhantes, mas muitos outros compreenderão melhor que o caminho não é por aí.

Se foi chocante a frieza dos adolescentes que não mexeram uma palha para interromper a insuportável duração da cena, como se não houvesse uma miúda como eles a ser violentamente esmurrada e pontapeada, inclusive na cabeça, o papel desempenhado pela rapariga mais velha, e fisicamente mais forte, que resolveu juntar-se à “festa” foi repugnante. É que ela despejava a sua ira sobre uma pessoa mais nova, mais fraca e impossibilitada de se defender, sozinha como estava, contra duas “valentonas”.

A frágil condenação dos adultos confirmou depois como a mania da desculpabilização permanente e a entronização da impunidade ajudam Portugal a transformar-se num país sem vergonha, a antecâmara de um estado sem lei.

Antena paranóica, publicada na edição impressa do Correio da Manhã de 28 maio 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.