Antena paranóica: quatro mulheres de ferro

 

Temos por cá, na TV, oportunistas que vão uma semana para fora instalar-se nos “arredores da guerra” para depois editarem mais um livrinho à conta de quem lhes pagou o passeio, livro que será compulsivamente adquirido – lido já é outra conversa – pelos devoradores de tudo o que lhes impinjam os “famosos” do pequeno ecrã. Ainda há dias fiz, em casa, uma limpeza nas estantes e fiquei surpreendido com a tralha que em meses se junta com obras sem conteúdo – e apenas com ofertas do editor.

Disponho-me agora a comprar um desses livros porque, em boa verdade, não são todos iguais, nem os temas, nem as escritas, nem os autores. Refiro-me a “As primeiras-damas”, de Alberta Marques Fernandes, que nos conta episódios protagonizados por mulheres de presidentes da República, testemunhas de 35 anos de História e de momentos delicados em que foram os alicerces de ferro que suportaram muitas decisões difíceis que moldaram o nosso destino colectivo.

Como não estamos em época de valorizar princípios, maior relevo justifica a iniciativa de Alberta Marques Fernandes de sublinhar a determinação de quatro grandes personalidades que marcaram – e marcam – Portugal, pela qualidade da sua intervenção e pelo seu exemplo de carácter e integridade.

Antena paranóica, crónica publicada na edição impressa de Record de 9 abril 2011

Partilhar

Os comentários estão fechados.