Antena paranóica: o Álvaro é teso

Manifestações preparadas
pelos sindicatos, com adesão limitada aos indefectíveis, esperam os membros do
Governo nas deslocações pelo país. Nada de mais, cada um luta com os meios de
que dispõe e bem andaremos enquanto tudo se resumir a berros e palavrões.

Mas esses actos de protesto
só têm algum peso porque os canais de TV vão atrás do assunto. E nada como uma
câmara para subir o tom dos insultos e puxar pela histeria e pelo azedume que se
escondem dentro de nós.

Foi o que aconteceu há oito
dias, na Covilhã, com a viatura que conduzia Álvaro Santos Pereira a sofrer
umas amassadelas. Só que o ministro também conhece o poder da televisão e
caminhou em direcção à “manif”, fazendo vacilar o “indignado” homem da bandeira.
E marcando, desse modo, pontos surpreendentes, voltando mesmo o feitiço contra o
feiticeiro. Moral da história: o Álvaro é teso!

Nota – A semana passada,
referi que os marcadores dos penáltis de desempate dos jogos a eliminar fazem
parte de uma lista entregue ao árbitro. Já assim foi, mas já assim não é, pelo
que a ignorância era minha. A vida é dura.

Antena paranóica, publicado na edição impressa do CM de 7 julho 2012

Partilhar

Os comentários estão fechados.