Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Antena paranóica: brandos costumes em Portugal

Esta crise não consegue
estragar tudo: ainda é bom viver em Portugal. Que o diga o realizador da RTP
que pôs no ar a imagem de João Gobern a festejar um golo do Benfica. É trabalho
da realização mostrar ao telespectador um comentador a beber água ou a tirar
macacos do nariz? Não é. E se não é, pergunto: aconteceu alguma coisa ao
espertinho?

Mas se a estação oficial
gosta de exibir a lusa brandura de costumes, a verdade é que não está só. José
Carlos Pereira abandonou o júri de “A tua cara não me é estranha”, da TVI, logo
no início do programa, alegadamente por não se sentir bem, e uma semana depois,
em vez de o substituir, a TVI apostou de novo na sua “frescura” de galã.

Passou-se o mesmo com António
Sala? Não, nesse caso tratou-se de uma ausência anunciada, por motivo grave e
inadiável, e não uma “indisposição” súbita por parte de um protagonista que, a
acreditar no que tem sido escrito, não é propriamente um modelo de discrição e
previsibilidade.

Se em Portugal levássemos as
coisas mais a sério estaríamos como estamos? Se calhar, não.

Antena paranóica, publicado na edição impressa do Correio da Manhã de 12 maio 2012