Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Antena paranóica: asneira à solta

Arrependa-se quem tenha passado a ideia de a ignorância ser exclusivo da “Casa dos Segredos”. A revista “Sábado” inquiriu 100 universitários e o resultado foi arrepiante. Disparates a rodos: Manoel de Oliveira é um maestro, o autor de “Os Maias” morreu há pouco tempo, Bush é o presidente dos Estados Unidos – país cuja capital é a Califórnia –, quem faz filmes é cinematógrafo, o símbolo químico da água é PH zero e Leonardo DiCaprio pintou a Mona Lisa – já o tecto da Capela Sistina foi obra de Miguel Arcanjo. Ah, e a chanceler alemã é uma tal de Mércola.

Não se trata só de desconhecimento, pois no final a malta explicou, com orgulho, que de religião, artes, política, informática e cultura geral nada sabe, nem quer saber. Mas também não se atribua aos jovens o monopólio da asneira: em “O Elo Mais Fraco”, as respostas de licenciados disto e daquilo provam que a incultura vem detrás. Faço até um pedido à “Sábado” – não repitam o inquérito numa redacção. Não é por mim, que estarei de folga, dá-nos é muito jeito poder chamar analfabetos… aos outros.

Antena paranóica, publicado na edição impressa do Correio da Manhã de 19 novembro 2011