Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Ainda não sei se vou votar nas primárias

Fui um dos milhares de supostos simpatizantes do PS que à última hora se inscreveram online para votar nas primárias de domingo. Não sei se foi boa ideia e também duvido que lá ponha os pés.

Nos últimos dias, o tom da campanha desceu ao nível do bas-fond da política, com Seguro a querer ligar Costa a Rui Rio, e o presidente da Câmara de Lisboa – que promete sempre não responder e responde sempre – a meter o secretário-geral do seu partido no mesmo pacote de Luís Filipe Meneses.

“Calúnia miserável, um ataque falso, indecente”, escrevia esta semana João Soares, apoiante de Seguro, na sua página do Facebook, numa reacção que espelha as profundas feridas que permanecerão, no PS, muito para além do momento da escolha do candidato a primeiro-ministro. Quem se admira com as duras críticas ao Governo por parte de companheiros como Manuela Ferreira Leite, Marcelo Rebelo de Sousa, Marques Mendes, Pacheco Pereira ou  Pedro Marques Lopes, pode começar a abrir a boca de espanto só de pensar no bota-abaixismo rosa quando e se o PS chegar ao poder.

Mas sendo a forma importante em política, é o conteúdo que mais me faz vacilar. E até agora, nem Seguro nem Costa me disseram como, aliviada esta tenebrosa austeridade, pretendem arranjar o dinheirinho  para pagar as contas e calar os credores. Vá, despachem-se, já só têm três dias.

Observador, Sábado, 25SET14