Adepto do Sp. Braga contra opções de “Record”

Sou habitante da cidade de Braga e adepto e sócio do Sporting Clube de Braga há já 15 anos, e como tal, fiquei extremamente desapontado com o conteúdo da vossa capa de hoje. Apesar de na véspera o Braga ter jogado a pré-eliminatória da Liga dos Campeões e ter ganho 3-0 ao Celitc, contribuindo para uma imagem positiva do futebol português além fronteiras, vocês preferiram dar todo o destaque da vossa capa ao Sporting que irá jogar hoje uma pré-eliminatória da Liga Europa. Então eu pergunto o porquê? Porque é que o Braga também não teve direito ao destaque da capa na edição de ontem? Porque é que será que as capas têm de ser feitas unicamente com notícias dos três “grandes”? E se fosse o Sporting, Porto ou Benfica a ter jogado ontem a pré-eliminatória da Champions? Será que já tinham direito a uma capa cheia de pompa e circunstância?
 
O que eu gostava de alertar aqui é que o Braga, os seus sócios, os seus adeptos merecem mais respeito por parte da comunicação social. A estrutura arsenalista merece mais do que um simples cantinho da capa quando joga o acesso pa Liga dos campeões. Já nem falo de outras edições, mas ao menos quando joga um desafio tão importante como o de ontem ao menos que nos dêem reconhecimento.
 
É com muita pena que vejo o vosso jornal a fazer isto uma vez mais, e vou ao site do jornal “o Jogo” e vejo (uma vez mais) uma capa com todo o destaque para o Braga. Eu há cerca de 10 anos que opto sempre por comprar o vosso jornal quando adquiro a edição em papel e estas atitudes levam-me a reflectir profudamente nessas aquisições. Basta de dar enfase apenas ao três “grandes”, há mais futebol do que apenas essas três instituições.
 
Sem mais assunto,
João Mendonça

Nota da QC – Este é um problema recorrente e que se coloca também, e principalmente, quando um atleta português obtém uma medalha numa grande competição internacional. A verdade é que os jornais são hoje, quase todos, propriedade de grupos de comunicação social que vivem dos resultados e que por eles competem duramente entre si. As capas de qualquer título devem ter em conta o seu público-alvo e ser elaboradas por forma a suscitarem o interesse do mercado a que se destinam, com uma atenção natural ao apelo de compra. A importância das opções de manchete não pode avaliar-se pelo mérito das vitórias mas pelo interesse que a maioria dos leitores possa ter ou não na aquisição do jornal. Se fosse possível ao Record fazer uma edição destinada ao distrito de Braga, a vitória sobre o Celtic seria obviamente o seu tema de manchete. Mas o Record vende no distrito 4 mil jornais/dia, menos de 6% da sua edição (e apesar do que o leitor diz, ainda assim mais do que “O Jogo”…) e o seu volume de vendas ultrapassa os 70 mil exemplares, pelo que temos o dever de pensar primeiro naquilo que julgamos ser o interesse da maioria dos nossos leitores. Por muita que seja a nossa simpatia pelo Sp. Braga e por muito que os bracarenses gostassem de ver em grande destaque a excelente vitória da sua equipa…

Partilhar

Os comentários estão fechados.