Abel, o herói improvável

O Sporting, que tem Hélder Postiga em boa forma – até a sua pontaria aos ferros é notável! – e Liedson regressado aos golos, precisou que um discreto lateral, tantas vezes injustiçado nas bancadas de Alvalade, desfizesse o zero a zero do Sporting-Rivo Ave, quase sobre a hora, com um remate inspirado, rasteiro, seco, cruzado, à entrada da área, sobre o flanco direito: uma perfeição, Abel!

Com este “renascimento”, Paulo Sérgio poderá ter ganho também mais um médio-avançado, João Pereira – aliás, um regresso às origens – que pouco antes do golo de Abel esteve quase a marcar, na sequência de uma jogada admirável em que, após diversas fintas curtas, numa nesga de terreno, rematou em arco, colocando a bola… no poste.

É este o destino do Sporting, que Paulo Bento desenvolveu e que Paulo Sérgio agora inteligentemente retomou: aproveitar os jogadores ao máximo, potenciando as suas qualidades e descobrindo-lhes novos talentos. E nesse particular o trabalho desenvolvido até ao momento é excelente.

Nota 1 – Não vi jornais no fim-de-semana, pelo que não pude ler uma entrevista negociada entre as partes, em que me contam que o entrevistador nada perguntou daquilo que os leitores poderiam querer saber. Pela parte que me toca, um único comentário: Deus o conserve.

Nota 2 – O Zé Serrano continua a distinguir-me com os seus piropos no boletim oficial. Mas já dei para esse peditório. Agora, nem o meu fair-play me leva a dar-lhe aqui audiência.

Partilhar

Os comentários estão fechados.