Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

A propósito de uma crónica de Daniel Oliveira ou os palavrões no futebol

De: Rogerio
Pinto [mailto:rogerio.pinto@ascoimbra.pt]
Enviada: sexta-feira, 24 de Fevereiro de
2012 14:07
Para: Record 
Assunto:
Assunto:Orgulho Grunho – Daniel Oliveira-Verde na Bola Record
24.02.2012

Exmos
Senhores,

Nada tenho contra o que o Sr. Daniel
Oliveira defende, sobre o racismo, até porque somos todos
iguais.

E sendo assim, gostava de ver os
jornais, a televisão a darem o mesmo “eco” ao que se passa no futebol, e não só
quando estes assuntos são referentes a
racismo.

O que que quero dizer é que tenho
hoje 52 anos e deixei de ir ao Futebol aos 18 anos, porque a linguagem usada na
altura era tremenda… Após perguntar a alguns adeptos estes me disseram hoje
ainda é pior!

O uso de filho da p-ta, cabr–,
panele—, aos jogadoes/arbitros era uma norma. Chamarem de macaco…. palhaço,
isso ninguém dava importância, porque até somos segundo alguns
filhos/descendentes desse símio ou não!

Nunca vi nenhum jogador branco se
exaltar por um negro lhe chamar de branquela, nunca vi um negro se exaltar por
outro negro o chamar de negro, preto, bkack, entre outros, a intenção está em
quem queira criar confusão. São alguns os amigos negros que tenho e nunca os
ouvi a exaltarem se com esses tratamentos.

Mas nunca vi nenhum jornal,
noticiário ou outro meio de comunicação fazerem comentários sobre
isso.

Hoje após esse “escândalo” e que a
UEFA está a abrir um processo contra o FCP, como poderia ser a um outro club
qualquer…Eu fico a pensar, mas isso não é normal ainda no Futebol? Não é assim
que o “rebanho” que ainda aceita pagar bilhetes para ver 11 homens semi nus de
cada lado e 3, 4 ou 5 nem sei quantos ditos de arbitros a apitarem um jogo em
que todos correm atrás de uma pele insuflada de ar… ou de outros ditos
pvc… mais temperados e não é assim o
Futebol?

Bem, então V. Exªs me dizem aos que
apontam directamente e ao vivo aos Srs árbitros, que lhes chamam todos esses
nomes mesmo em directo na televisão…?

Será que os árbitros são menos do
que jogadores?

Será que aos árbitros podem ser
chamados de filhos da p-ta?

Não, eu não quero chamar macaco a
ninguém, quero sim um dia voltar ao futebol, mas quando a igualdade for dentro
dos estádios assim como na comunicação
social.

Nota: Não tenho
qualquer interesse pelo futebol, nem por nenhum clube em especial, nem estou
ligado a qualquer arbitro, não sou racista, por isso tenho uma analise isenta, e
gostava que não complicassem.

Futebol vai ser sempre assim
enquanto existir sem ofensa “rebanhos” que se ausentam do seu lar para verem e
ouvirem difamação sem controle.

Um bem
haja,

Rogério
Pinto