A crise chegou aos condomínios: sorte para os caloteiros!

Caro Condómino,

Num ano em que foi decidido em Assembleia Geral estabelecer uma quota suplementar para obras urgentes no Condomínio, constata-se que as dívidas ao Condomínio por quotas não pagas, em 20 de Julho de 2014, ascendiam a mais de 13.000,00€, ou seja, mais de 20% do valor anual das quotas.

Face a esta situação decidiu a Administração empreender diligências suplementares para cobrança das quotas em atraso, solicitando a melhor colaboração a todos os Condóminos.

Como é fácil de entender, esta situação cria grandes constrangimentos na Gestão do Condomínio, não podendo deixar de ser controlada.

Lamentamos ter que alertar sobre este tipo de situação, até porque há Condóminos que têm feito os pagamentos atempadamente. No entanto, sendo um tema que não tem evoluído de modo aceitável – diminuição dos valores em dívida – teremos que fazer todos os esforços para ultrapassar esta fragilidade.

Neste contexto foram dirigidas cartas personalizadas a todos os Condóminos cujos registos evidenciavam, ainda, dívidas de exercícios anteriores (qualquer que seja o montante) e Condóminos com dívidas do corrente ano superiores a 2 trimestres.

Em acréscimo e a partir deste momento, a Administração passará a divulgar mensalmente o Mapa de Dívidas ao Condomínio que anexamos.

Finalizamos agradecendo a todos os que procedem ao pagamento das quotas até ao dia 8 do 1º mês do trimestre a que a Quota diz respeito e pedindo especial atenção aos Condóminos com valores em atraso, solicitando que procedam à rápida regularização dos valores em dívida.

Cumprimentos,

A ADMINISTRAÇÃO

Nota da QdoC – Moro há sete anos neste prédio e vejo com preocupação o aumento dos calotes ao condomínio. Procedem, de uma maneira geral, de gente arrogante e com pretensões sociais, mas muito mal educada. A crise económica, sendo real, é neste caso mais uma oportunidade para quem já não pagava continuar a dever.

Partilhar

Os comentários estão fechados.