Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

A CMTV e a cultura das notícias

A 14 de janeiro, dia em que a televisão do “Correio da Manhã” passou a ser distribuída também pela NOS, cumpriu-se mais uma etapa no longo e difícil caminho que levará – com investimento adequado e a determinação de sempre – a estação deste jornal à liderança dos canais cuja especialidade são as notícias.

Esta certeza resulta da convicção de que se é certo que a CMTV já vai hoje muito além dos telejornais, das reportagens e dos debates, jamais a sua direção e jornalistas se desviarão do que é a vocação do CM e a razão primeira do seu sucesso: a capacidade para dar notícias.

Escrevia há dias no insuspeito “Público”, e com a autoridade que se lhe reconhece, José Pacheco Pereira: “O que o Correio da Manhã nos ensina, no meio da ganga toda, é que nos jornais é preciso ter uma cultura das notícias, uma cultura que, para além do contexto, do enquadramento, da análise, da opinião dos jornalistas, aponta para uma direção e um trabalho profissional de procura de informação, sem o qual os jornais entram em crise”.

Há muito tempo que os leitores sabem que só onde existe essa cultura, que convoca a independência e a coragem, é possível encontrar todas as notícias – e conhecer assim, por inteiro, a verdade.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 16JAN16