Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

A bomba de Cristina era de carnaval

Decisões avulsas, o bom senso à deriva… Pressionada pelo relativo fracasso do “Dia de Cristina” – que na manhã de quarta-feira quebrou nas audiências quando o “chef” Ljubomir passou pela SIC e que à tarde voltou a ficar atrás de Júlia Pinheiro, apesar da “bomba” anunciada – a dona daquilo tudo na TVI tenta corrigir o tiro errado do afastamento de Cláudio Ramos do “Big Brother” – uma decisão que só ela não viu que ia dar asneira.

Essa asneira, como a do “casting” de amadores, salta à vista nas noites de domingo, com o “BB” a perder sempre para a SIC e a deixar-se até “morder” pela RTP1, com “The Voice” – um programa excelente e que melhor seria se conduzido por Filomena Cautela. Mais deprimente ainda foi a derrota de Teresa Guilherme no ante prime time de terça-feira, com menos 30 mil espectadores que o estafado “Noivo”, da SIC, e menos 412 mil (!) que o remoçado “Preço Certo”, de Mendes & Vital – o desastre absoluto!

Daí que a tal “bomba” fosse, afinal, de carnaval: Cláudio Ramos – para quem a diretora teria um programa especial de corrida – irá apresentar o próximo “BB”, em 2021 e… com Teresa Guilherme! Dantes, os meninos brincavam às casinhas, hoje já lhes é possível brincar às televisões.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 25out20