Em defesa de Pepe, a cereja no bolo

A nota 2 que o Record deu a Pepe pelos 69 minutos em que jogou no clássico – só o suplente Vítor Ferreira mereceu avaliação tão baixa nos portistas – encontram quase total justificação no seu desempenho em campo: duas oportunidades perdidas de marcar, uma entrada dura sobre Taarabt e culpas nos dois golos do Benfica. Acontece que o peso do capitão na vitória do FC Porto terá de ser medido à luz de outros fatores. Um é o do estatuto que resulta de uma carreira de 700 jogos oficiais... Leia o resto →