Uma declaração de amor de Cristina Ferreira

Uma empresa vive do cumprimento de objetivos. Para os atingir é quase indispensável que quem lidera possa constituir um grupo coeso e morrer por ele. A lista de falências está cheia de belas intenções de profissionais a quem foram exigidos resultados sem que lhes fosse dada a oportunidade de trabalhar com a sua gente. Porque esse bloqueio carrega outro: a impossibilidade de o líder se aproximar daqueles que, cedo ou tarde, teme vir a ter de dispensar. Trata-se de uma angústia a que Cristina Ferreira fica imune. Ela comanda uma... Leia o resto →