E se o Big Brother lhes desse comida saudável?

A expulsão de Pedro Soá deu forte empurrão ao “Big Brother”, que no domingo ficou à frente de “Quem quer namorar com o agricultor?”, a pessegada da SIC que continua a ganhar nas somas dos duelos diários.

Já aqui referi a melhor qualidade dos concorrentes do “reality show” da TVI em relação a edições anteriores, um fator redutor de audiências, pois alguma labreguice e algum desvario arrastam, como sabemos, espectadores menos dados a conversas e mais recetivos a cenas canalhas.

Mas uma vez que a estação de Queluz optou por um caminho de certo decoro, ficava-lhe bem ir um pouco mais longe e passar do guião deseducativo que sempre caracterizou o “BB” para um – vou ser pobre a pedir – de meio serviço público.

Começar, por exemplo, por explicar ao cromo que vai para a mesa em tronco nu que, ao menos ao jantar, devia vestir uma camisa ou uma camisola. Depois, outro exemplo, podiam promover os bons hábitos alimentares, abastecendo a despensa e o frigorífico de produtos mais saudáveis, evitando que, por esse país, milhares de jovens imitem o menu do “BB” e comam, ao pequeno-almoço, carnes processadas, conservas, batatas fritas, pão branco e refrigerantes.

O entretenimento consegue, em semanas, o que à cultura leva anos.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 6jun20

Partilhar

Os comentários estão fechados.