Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

Pele de galinha em “Casados à primeira vista”

No início da semana, “Casados à primeira vista”, da SIC, perdeu por três vezes para “O preço certo”, da RTP1 – e na terça e na quarta-feira, no “share” do dia, o canal oficial ficou de novo à frente da TVI, com um milhão de pessoas a verem o concurso de Fernando Mendes.

Sublinhei já a subida de qualidade da produção desta série de “Casados”, um “upgrade” anulado pela empatia que não sentimos pela maioria dos “noivos” e pela nula atração que os próprios têm uns pelos outros. Agora, o “flop” acentuou-se com os esforços patéticos – ai aquele “jogo” de cartas do “especialista Fernando”! – de transformar em “relações” a repetida recusa dos casais em aceitar parceiros que lhes fazem pele de galinha.

E quando as vítimas repetem, por exemplo, que não há “clique”, que a intimidade é zero e que sexo nem pensar, os especialistas inventam um truque de suposta sedução: uma “massagem”, logo olhada com rejeição pelos “massagistas”, que pode – oh, desespero! – ser feita por cima da roupa (!) e com recurso a um boneco, ou seja, sem qualquer contacto… Uma treta.

Diana Chaves bem se esforça a falar de “mulheres”, “maridos” e “casais”, mas em tantos pares de “desperados” do amor duvida-se que resista um “match” para amostra.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 23nov19