Colunista do "Record" e do "Correio da Manhã", anarco-individualista e adepto do Belenenses e do Real Madrid, Alexandre Pais foi diretor do "24horas", de 2001 a 2003, e do "Record", de 2003 a 2013, tendo iniciado o seu percurso jornalístico no "Mundo Desportivo", em 1964.

1.º Record, 2.º A Bola, 3.º O Jogo

O último relatório do Bareme da Marktest, referente a 2012, deu a Record não só a liderança da imprensa especializada em desporto – reconquistada em 2009 – como nos atribuiu a melhor marca de sempre, no semestre final de cada ano, e nos deixou mais longe do nosso principal concorrente: temos mais 78 mil leitores/dia do que “A Bola”. E também em relação ao “Jornal de Notícias”, segundo classificado no ranking de diários e semanários, nunca estivemos tão perto: apenas 26 mil leitores nos separaram.

No 2.º semestre de 2012, Record liderou ainda a imprensa desportiva em todos os escalões etários, desde o dos 15/17 anos até ao de mais de 65, bem como em todas as regiões do país, exceto o Grande Porto, onde “O Jogo” foi ainda o mais lido. Em contrapartida, no Sul, ou seja, no Alentejo e no Algarve, temos já mais leitores do que os nossos dois concorrentes… juntos.

Destaque ainda para o facto de Record ser a publicação nacional com maior número de leitores do sexo masculino, 816 mil, seguido do “Correio da Manhã”, com 785 mil, de “A Bola”, com 747 mil, e do JN, com 615 mil.

Por sua vez, o CM cimentou a liderança absoluta, com 1,23 milhões de leitores por dia, segundo os dados do 2.º semestre, e na imprensa especializada em economia – e já na terceira e última vaga de 2012 – o “Negócios” igualou o “Diário Económico”, com 3,1% de audiência. 

Quanto aos grupos de média, a Cofina, proprietária de Record, liderou igualmente, com 4,3 milhões de leitores, à frente da Impresa, 3,6, da Controlinveste, 2,2, da Impala, 1,9, e da Motorpress, com 1,2 milhões de leitores.

Nota da QdoC

É como nos campeonatos: no final, fazem-se as contas. E o relatório do Bareme, agora divulgado, confirma Record como o mais lido dos três “desportivos” portugueses no ano que findou. A situação não é nova, repete-se até pela quarta vez consecutiva, e constitui a resposta do mercado à fantasia dos que se entretêm a propagandear sonhos na vã tentativa de alterar a realidade.

O foco de Record está no interesse de quem lhe dá a preferência e na nossa capacidade para poder corresponder às expectativas de todos, não dececionando quem confia em nós. O resultado dessa relação de confiança é este: um recorde de leitores. A cada um agradeço e deixo uma promessa: amanhã, trabalharemos mais, erraremos menos, seremos melhores.

n O último relatório do Bareme da Marktest, referente a 2012, deu a Record não só a liderança da imprensa especializada em desporto – reconquistada em 2009 (ver info abaixo) – como nos atribuiu a melhor marca de sempre, no semestre final de cada ano, e nos deixou mais longe do nosso principal concorrente: temos mais 78 mil leitores/dia do que “A Bola”. E também em relação ao “Jornal de Notícias”, segundo classificado no ranking de diários e semanários, nunca estivemos tão perto: apenas 26 mil leitores nos separaram.
No 2.º semestre de 2012, Record liderou ainda a imprensa desportiva em todos os escalões etários, desde o dos 15/17 anos até ao de mais de 65, bem como em todas as regiões do país, exceto o Grande Porto, onde “O Jogo” foi ainda o mais lido. Em contrapartida, no Sul, ou seja, no Alentejo e no Algarve, temos já mais leitores do que os nossos dois concorrentes… juntos.
Destaque ainda para o facto de Record ser a publicação nacional com maior número de leitores do sexo masculino, 816 mil, seguido do “Correio da Manhã”, com 785 mil, de “A Bola”, com 747 mil, e do JN, com 615 mil.
Por sua vez, o CM cimentou a liderança absoluta, com 1,23 milhões de leitores por dia, segundo os dados do 2.º semestre, e na imprensa especializada em economia – e já na terceira e última vaga de 2012 – o “Negócios” igualou o “Diário Económico”, com 3,1% de audiência. 
Quanto aos grupos de media, a Cofina, proprietária de Record, liderou igualmente, com 4,3 milhões de leitores, à frente da Impresa, 3,6, da Controlinveste, 2,2, da Impala, 1,9, e da Motorpress, com 1,2 milhões de leitores.