Licensiados e ignurantes (4): lendas e dignatários

Na SIC, promove-se há semanas uma rubrica com os melhores futebolistas de sempre, que a voz-off classifica como “lendas ícones”, assim uma espécie de “formosos bonitos” ou “felizes radiantes”, uma patetice tão básica que até arrepia. Já na RTP1, numa edição do “Joker”, apresentado por Vasco Palmeirim – e com Hugo Neves, que foi um excelente jornalista do Record, como concorrente – ouvimos esta semana, também em voz-off, uma referência a “dignatários”, em vez de dignitários. Num concurso de cultura geral e numa estação de suposto serviço público é particularmente... Leia o resto →

E arranjar “outro” Bas Dost?

Se o futebol se pudesse compreender, não haveria catedráticos desempregados e ex-ajudantes a fazer o caminho. É entre estes últimos que se misturam os apalpadores de terreno, aqueles que são pagos para se testarem à custa do sucesso ou insucesso dos projetos em que se integram. Refiro isto por causa da onda de satisfação bacoca pela partida de Bas Dost, vendido como imprestável e sem um euro de lucro. Claro que se conta também com o salário – absurdo, reconheça-se – que o holandês deixa de receber, na linha das... Leia o resto →

Em último à segunda jornada, um desastre!

Espalhei-me e à segunda jornada estou isolado… em último! Os primeiros são: AVale 1 ponto (!), LJeremias 5, BPrata 6, PASilva 7 pontos. Eu já somo… 19! Lá vou ter de recorrer a táticas defensivas…

De agressores a estrelas de televisão

Nota alta para o brilhante trabalho de Cláudio Ramos, na SIC, “a fazer de Cristina” e a bater a TVI nas audiências, em alguns dias por números tão expressivos como os obtidos pela titular do programa. Mas tenho de me ficar por aí, chocado com aquele vídeo tenebroso em que se veem agentes da PSP a serem violentamente agredidos por dois homens. Chamados a conter uma desordem entre famílias, em Loures, os polícias procuraram defender-se até à chegada de reforços que permitiram, com enorme dificuldade, deter os atacantes. Não passaram... Leia o resto →

Licensiados e ignurantes (3): qualquer coisa serve

Eles andam à solta, é verdade. E o enquadramento mínimo dos jornalistas em início de carreira, se falha durante o ano, em agosto é inexistente. Nesse salve-se quem puder, acabo de ouvir uma daquelas repórteres-mártires que andam de roda dos camionistas a afirmar, na SICN, que “a ANTRAM faltou à reunião” de hoje com os sindicatos… Pouco lhe interessa saber ou não sabe de facto – porque a preparação para o trabalho é zero – que não havia qualquer reunião marcada. A falta de rigor, o qualquer coisa serve, colocou-a... Leia o resto →

Cada cavadela de Bruno Lage, cada minhoca

Com Bruno Lage existe uma garantia: cada cavadela, cada minhoca, ou melhor dito, cada garimpada, cada pepita de ouro. Agora, foi a vez de Nuno, de 19 anos, o mais novo dos Tavares que “fugiram” de Alcochete e acabaram no Seixal, a revelar-se em pleno, após ter sido munido pelo treinador das aptidões necessárias para se transformar de lateral esquerdo em direito ou, melhor dito de novo, para fazer dele um defesa para qualquer dos lados. Ou até, pelo remate com que abriu o marcador na Luz, pelas duas assistências... Leia o resto →

Duas mulheres na frente

Partida para a minha última época de TotoRecord, com Andreia Vale e Luísa Jeremias a saírem na frente: AVale, LJeremias e PA Silva 5 pontos, EDâmaso e RMalheiro 8 pontos, CRodrigues, ZMFreitas e RCalafate 10 pontos. Eu e mais cinco já levamos 11 pontos, mau, mau…

Este estranho mês de agosto

Apareceu uma chuvinha, os fogos entraram em férias e todas as atenções mediáticas se concentraram na greve dos camionistas. Animado pelo descanso triunfalista do ministro Cabrita, António Costa foi à janela e meteu a mão de fora: cai uma água, sim, mas não só. Especialista em clima social e conhecedor do poder da televisão para pôr o país em polvorosa ou para o libertar de pesadelos, o primeiro-ministro percebeu que estávamos maduros para aceitar uma posição dura. E mal a TVI publicou a reportagem que deixou a nu o passado... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top