Um desastre português na Vuelta

Noventa (!) ciclistas terminaram a etapa de hoje da Vuelta, entre o 69.º e o 160.º lugar, a 24m e 47s do vencedor. Entre eles, os portugueses Rui Costa, Nelson Oliveira e Ricardo Vilela. Só houve um corredor que não aguentou o andamento cicloturístico desse “pelotão dos sprinters” e chegou na 161.ª e última posição, a 25m e 24s. Quem foi? Acertou leitor: Rafael Reis, o português que faltava.

Com uma ou outra exceção, tem sido este o desempenho dos nossos ciclistas na Volta à Espanha. Depois, claro, ainda temos de levar com as considerações de alguns especialistas que não se cansam de louvar a elevada qualidade do ciclismo português!

Nota 1 – Vinte quatro horas depois deste descalabro, Rui Costa voltou a entrar numa fuga e a tentar a vitória numa etapa. Faltou-lhe força no sprint final, ficou em 4.º mas revelou o seu inconformismo. Veremos se amanhã, na subida do Angliru, não paga o preço desse esforço. Mas uma coisa é certa: o Rui é o único ciclista português de efetiva classe internacional.

Nota 2 – Pagou: chegada ao Angliru em 82.ºlugar, a mais de 19 minutos de Contador. Não há milagres.

Os comentários estão fechados.