A propósito de Henrique Garcia: a máquina do tempo é cruel

Vivemos num país que valoriza pouco a experiência e sempre se entusiasma com a novidade e a presunção. Profissionais de cabelos brancos, que o Estado convida a seguir em ação, são postos de lado à primeira oportunidade por quem só depende de números e ignora a memória e a gratidão. Não defendo causa própria, pois reduzi a atividade na altura certa e sinto-me preparado para o inevitável dia em que o leitor estará cá e eu já não. Escrevo isto a propósito de Henrique Garcia, que aos 70 anos foi... Leia o resto →

Manuel Luís Goucha ganhou a aposta

Em fevereiro, na véspera da estreia da sétima edição de “Secret story”, escrevi aqui que Manuel Luís Goucha, para alcançar um novo êxito sem sacrificar o seu prestígio profissional, teria de ultrapassar um dilema: promover o asneiredo e a rasquice, e assim puxar pelas audiências, ou subir o nível e perder público. Seis semanas decorridas, com lideranças sucessivas e outro primeiro lugar no “top 10” no último domingo, com 1,21 milhões de telespectadores, podemos afirmar que Goucha não só aumentou a popularidade da “Casa dos segredos”, em relação à anterior... Leia o resto →

Teresa e Rita: dois casos diferentes

A semana “televisiva” foi marcada por um reaparecimento infeliz e por um desaparecimento injusto. Reapareceu Teresa Guilherme, por notícias de alegados problemas com dinheiro. Agora, são supostas dívidas à produtora de “A casamenteira”, depois de um antigo colaborador ainda há pouco a ter acusado de “escravatura”. De súbito, tudo passou a correr menos bem a Teresa, com a audiência de estreia da “Casa dos segredos 7”, conduzida por Manuel Luís Goucha, a ajudar à festa: mais 674 mil espectadores do que a edição 6, apresentada por La Guilherme. Já o... Leia o resto →

O regresso de Fernando Mendes e Miguel Vital

Em março de 2017, a novidade que foi o “Apanha se puderes”, da TVI, entrou de imediato no “top 5” dos programas mais vistos, com audiências médias superiores a um milhão de telespectadores e o “share” a rondar os 30%. Esse êxito levou à queda de “O preço certo”, da RTP, transmitido no mesmo horário, que manteve apenas cerca de meio milhão de fiéis – abaixo de metade do concorrente. Na altura, vaticinei o rápido regresso à ribalta do concurso da estação oficial, uma previsão errada que também aqui tive... Leia o resto →

Haverá loucos para a segunda série de “Pesadelo na cozinha”?

Com 1 milhão e 866 mil espectadores no último episódio – triturando “Just duet”, da SIC, e o filme “Ronaldo”, da RTP1 – “Pesadelo na cozinha” acabou no domingo. O sucesso da primeira série impõe à TVI a segunda, mesmo que Ljubomir Stanisic exija que lhe decupliquem o cachê. Se Portugal fosse um país normal e de gente esclarecida, o polémico “chef” não se safava. Sim, depois da revelação das esterqueiras escondidas nas zonas privadas de restaurantes e que mais não são que uma amostra da porcaria que existe noutras... Leia o resto →

ASAE voltou do estado de hibernação: obrigado, Ljubomir!

Não há Globos de Ouro, curiosidade pelas fatiotas do nosso “beautiful peoplezinho” ou calhandrice pela vida alheia que resista aos 1,4 milhões de telespectadores – e liderança destacada das noites de domingo e da semana – que insistem em premiar “O pesadelo na cozinha”, de Ljubomir Stanisic e da TVI. A audiência do programa segue tão alta e a porcaria que nos mostra continua tanta que o alarme social pôs fim ao estado de apatia da tradicional hiperatividade da ASAE, que parecia desaparecida em combate. Há agora sinais diários do... Leia o resto →

A dura verdade de Alberto João Jardim

Manuel Luís Goucha surpreende-nos regularmente com uma boa entrevista na TVI. Foi o que sucedeu na terça-feira, no “Você na TV”, a propósito do livro de Alberto João Jardim, “Relatório de combate”, numa conversa com o autor que à primeira vista me parecia a repetição de um discurso com 40 anos. Devo confessar que aprecio Jardim, as atitudes politicamente incorretas, as vitórias sucessivas nas urnas, o modo como desenvolveu a Madeira e a inexistência de sinais visíveis de riqueza, o que significará que serviu e não roubou – e se... Leia o resto →

O Gordo afunda-se e a RTP nada faz

Enganei-me. Escrevi aqui a 18 de março que um mês depois as audiências de “Apanha se puderes”, da TVI, não seriam tão boas como no início do programa. A verdade é que o concurso apresentado por Cristina Ferreira supera já em mais de 400 mil (!) espectadores “O preço certo”, e mesmo que Fernando Mendes e companhia consigam recuperar do KO dificilmente voltarão a liderar naquele horário – como vaticinei também, se calhar para me espalhar outra vez. É a vida. “Apanha se puderes” não é um êxito apenas pela... Leia o resto →

O “Pesadelo na cozinha” e a atração pelo nojo

Os donos do primeiro restaurante reabilitado por Ljubomir Stanisic resolveram folgar dois dias depois da estreia de “Pesadelo na cozinha”, desprezando assim a promoção que a TVI lhes ofereceu. Inteligente ideia! E no segundo, renovado na última edição, são já visíveis aos clientes as alterações ao projeto do “chef” sérvio, saídas das iluminadas cabeças da gerência. Mais uns meses e tudo ficará de novo um horror, que o ADN não se muda. O que muda é a nossa confiança na ASAE, que pelo que se vê não consegue evitar a... Leia o resto →

Lebre Cristina e Tartaruga Mendes

Apetecia-me hoje destacar o 4.º aniversário da CMTV, que ainda esta quinta-feira registou o dobro das audiências da TVI24 e deixou a SIC Notícias a um ponto – 2,8 por cento de share “contra” 1,8 – mas não quero abusar da paciência do leitor ao vincar os méritos da nossa estação. A realidade fala por si. Opto por outro êxito, o de “Apanha se puderes”, lançado na segunda-feira, dia em que atingiu 25,9% de share, e que na quinta chegou a 28,9%, marcas que ultrapassaram os 20 ou 22% de... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top