Real Madrid e CR7: confirmação de um divórcio suicida

Na véspera da visita do Atlético de Madrid ao Juventus Stadium, não resisto a centrar-me na louca jornada europeia do meio da semana passada, que nos trouxe a eliminação do Real Madrid e do PSG, da Liga dos Campeões. Um, goleado no Bernabéu pelo novo Ajax, um fenómeno de juventude e qualidade, o outro, derrotado em casa por um Manchester United despojado de muitas das suas estrelas – o mesmo MU cujo plantel, completo que estivesse, não servia para José Mourinho. Mas se dois colossos do futebol europeu ficaram para... Leia o resto →

Se respondermos aos livros eles passam a existir

Muitos meses atrás, fui procurado por um velho companheiro de redação que andava a escrever – mais de 40 anos depois… – um livro sobre o “25 de novembro”. Depressa me apercebi que o propósito do autor não era outro do que atirar a culpa pelo fracasso dos seus ex-correligionários – branqueando-o ao mesmo tempo – para cima daqueles que se opuseram ao golpe militar. E, no meu caso, inventando até benefícios que não tive, pois era, em 1975, antes do “golpe”, diretor de informação da rádio oficial, tendo sido... Leia o resto →

Sporting merecia ter-se qualificado

Como se esperava, o Sporting foi eliminado da Liga Europa. Como se esperava mas não como merecia, pois até à expulsão de Jefferson – que falta de inteligência! – a situação parecia controlada e o segundo golo acabaria por surgir, apesar do desacerto pouco habitual de Bas Dost. A jogar com 1o, a missão leonina tornou-se praticamente impossível, ainda que no último minuto, se Bas Dost tivesse conseguido marcar, à boca da baliza, o 1-2 qualificasse o Sporting. Com o plantel de que dispõe, e sem Mathieu, sem Acuna, sem... Leia o resto →

Piccini: um valor que o Sporting deitou fora

A calamitosa gestão de ativos do Sporting, que atingiu o auge com os desvarios provocados pelo comportamento errático de Bruno de Carvalho e cujas sequelas não param, até os bons jogadores vulgarizou. Foi o caso de Piccini – 40 jogos pelo leão em 2017-18 – vendido ao Valência por 8 milhões de euros, em julho, e que já tem uma oferta de 11 milhões de um clube da Premier League. É impressionante comparar o plantel atual com aquele que o Sporting tinha há um ano. Exigir mais nas condições presentes... Leia o resto →

Nani deixou em Alvalade um rasto de desilusão

Sei que a situação financeira do Sporting é difícil mas, como simples observador, detesto ver sair Montero e Nani de Alvalade. O colombiano pela sua postura, de nível bem expresso na mensagem com que se despediu, mais uma vez, dos adeptos leoninos. E Nani… por ser Nani. Quando se volta a casa, ao cabo de uma carreira recheada de sucessos, e de milhões de euros, é para se desfrutar do afeto e não para quebrar de novo o elo que se refez. Porque o regresso de Nani tinha, para ele... Leia o resto →

Uma cabeça de holandês em bandeja de prata

A verdade desportiva é muito bonita, mas confesso que preferia que o dérbi terminasse em 3-6, sem golos invalidados e num hino ao futebol de ataque e à beleza do jogo. Esse suposto resultado teria, aliás, evidenciado de forma ainda mais clara a fragilidade da defesa leonina e a pobreza relativa do plantel do Sporting – a propósito, por onde andam os talentos da Academia? Até esse bebé deitaram fora com a água do banho… É que ter como titulares – e digo-o com todo o respeito – futebolistas da... Leia o resto →

Renan irá ser um dos grandes guarda-redes do Sporting?

Nenhum outro clube em Portugal teve tantos grandes guarda-redes como o Sporting. Dos sete que incluo na galeria de ouro do emblema de Alvalade só não vi jogar João Azevedo, de quem o meu querido pai dizia maravilhas. Pude, sim – eu que fui fã do inesquecível José Pereira, pássaro azul e génio das balizas – vibrar, ao longo de décadas, com exibições fantásticas destes seis: Carlos Gomes, Vítor Damas, Tomislav Ivković, Peter Schmeichel, Ricardo e Rui Patrício. Com a partida do titular da Seleção para Inglaterra, o Sporting entrou... Leia o resto →

Ministro Costinha falhou o ajuste de contas

Ontem, quando o Nacional fez o segundo golo, recuei ao tempo em que Costinha era diretor-desportivo do Sporting, 2010 se bem me lembro, ano em que surgiu nos jornais uma foto que mostrava o “ministro” protegido por um guarda-chuva empunhado por outro empregado do Sporting – glorioso momento. Desapareceu depressa essa aura de todo-poderoso e os despedimentos seguintes, no Servette e no Paços de Ferreira, bem como os insucessos em Aveiro e em Coimbra, ajudaram a reconstruir a imagem de um técnico que regressou agora a Alvalade com clara vontade... Leia o resto →

Tiago Fernandes não merecia uma oportunidade?

Foi pena já ter terminado o fim de semana dos grandes jogos, em que não pudemos dar conta de tudo o que de magnífico nos foi proporcionado – como a final da Libertadores, que me passou ao largo. No sábado, dois embates emocionantes e infelizmente simultâneos, em Madrid e em Dortmund, a acabarem com o mesmo marcador inconstante e gordo: 3-2. A seguir, outro confronto intenso, no Dragão, com FC Porto e Sp. Braga numa disputa fantástica que os portistas venceram por terem sido mais felizes e pela sua pressão... Leia o resto →

O dia em que Acuña voltou do exílio

Tiago Fernandes, de cabeça fresca, viu de imediato o que nos parecia absurdo mas que José Peseiro teimava em ignorar: a qualidade de Acuña exangue no exílio da lateral. E ontem, em São Miguel, um rosto novo, uma mudança inteligente, uma energia recarregada e a atitude dos jogadores – sempre eles! – fizeram a diferença. Para ser sincero, também me apetece defender José Peseiro, que em quatro meses no Sporting e perante circunstâncias particularmente difíceis cumpriu uma tarefa responsável e abnegada que merece elogios. Abandonado pela nova direção leonina –... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top