É triste fazer de “Ellen” dos pobrezinhos

Ao serviço do “Queridas Manhãs”, da SIC, a economista Florbela Oliveira avançou para Alambique, Tondela, ao encontro do pedido de ajuda de uma família que perdeu quase tudo. Sobrou a casa principal, onde hoje vivem nove pessoas, salva à “mangueirada” pelo patriarca do agregado. Reduzida a cinzas ficou ainda a pequena ordenha que constituía a base do sustento – e desapareceram as 130 ovelhas e o seu pastor. Naturalmente tocada, a repórter ocasional acabou abraçada a uma das vítimas e garantiu: “Sou chata como a potassa, sou terrível, miudinha e... Leia o resto →

Conceição Lino voltou em grande forma

Há as figuras públicas que são notícia por razões escabrosas – que vão de não pagarem a água a fugirem à pensão de alimentos – e as que ultrapassam as contingências da vida com transparência e sabedoria. Bom exemplo disso foram agora Fátima Lopes, que anunciou a sua separação do marido, e Júlia Pinheiro, que deu conta, através de comunicado (!), não vá o diabo tecê-las, de ter entrado na menopausa. Mas há ainda outro tipo de figuras públicas – e públicas em Portugal são as da televisão, mesmo que... Leia o resto →

Um presente de Natal da CMTV

A CMTV termina o ano com o lançamento de “Separados pela Vida”, uma rubrica – e não rÚbrica, como alguns comunicadores insistem erradamente em dizer – incluída num dos programas de maior sucesso da nossa estação, o “Rua Segura”. Trata-se de um trabalho de serviço público que nos remete para o “Ponto de Encontro” que Henrique Mendes apresentou na SIC – mais de 200 episódios entre 1994 e 2002 – e que foi retomado pelo “Você na TV”, da TVI. Como a “transferência” de Carnaxide para Queluz do “Querido mudei... Leia o resto →

Passos Coelho a dormir na forma

A entrevista que Clara de Sousa fez a Passos Coelho, na terça-feira, na SIC, trouxe uma novidade na estratégia, pois o líder da oposição exibiu a sua versão mais moderada, substituindo, por exemplo, o agastamento da semana anterior – quando afirmou que “o défice ficará confortavelmente acima” do que proclama António Costa – por um cândido “espero que o País atinja este ano as metas orçamentais”. Passos teve o momento alto ao criticar a cativação de despesas por parte do Governo, dizendo à entrevistadora – que se “esqueceu” de lhe... Leia o resto →

A televisão do absurdo

Em 2015, vi no cabo, na Fox, quase toda a temporada inicial de “CSI: Cyber”, um fiasco que chegou aos 31 episódios, nos Estados Unidos, mas que a CBS cancelou. Estranhamente, a SIC transmitiu na passada segunda-feira – 14 meses depois da Fox – o primeiro episódio, e colocou no ecrã a palavra “estreia”. Se para o ano a série for repetida na SIC Mulher, o episódio n.º 1 voltará a ser uma estreia? Os autores das novelas portuguesas metem com frequência agentes da polícia nas casas das pessoas para... Leia o resto →

Coração d’Ouro, atores de lata

A novela “Coração d’Ouro”, da SIC, disputa à da TVI, “A Única Mulher”, a liderança das audiências. E mesmo perdendo, seja por 30 mil ou por 250 mil espectadores, lá vai dando luta graças a dois trunfos poderosos: o guião, em que encontramos alguma originalidade no mundo já batido das novas histórias de cordel, e o talento, enorme, de Rita Blanco. A intérprete de “A Gaiola Dourada” integra um cartaz de atores de qualidade, como Lúcia Moniz ou Mariana Monteiro, José Raposo ou Miguel Guilherme, João Perry ou Ana Padrão,... Leia o resto →

“E se fosse consigo?” é mesmo connosco

Quando a imaginação falha ou o interesse do público arrefece, uma rubrica de apanhados, repetida ou apresentada de forma supostamente original, funciona. Gostamos de ver os outros a fazer de palhaços, quem sabe se para nos convencermos de que não estamos sozinhos. O mérito de “E se fosse consigo?”, da SIC, vai muito para além da simples captação de audiências, embora os resultados sejam bons: 1,25 milhões de espectadores, na última segunda-feira, “metendo-se” na luta das telenovelas e ficando bastante acima dos telejornais. É que o programa de Conceição Lino,... Leia o resto →

TV generalista tem de repensar o modelo de negócio

Esgota-se o formato dos programas da tarde voltados apenas para a caça às chamadas de valor acrescentado. E ficam assim ameaçados os penosos desfiles de cantores, uns populares e outros só conhecidos das primas, já que antes de nos aparecerem em casa – dada a necessidade dos canais de variarem a oferta durante tantas horas de emissão – só elas sabiam da sua existência. Das letras às vozes, passando pelas roupas e pelos nomes artísticos de alguns, o panorama é assustador. O final do “Portugal em festa”, da SIC, para... Leia o resto →

O dia em que as estrelas se apagaram

“A justiça é como uma serpente, só morde os pés descalços” – Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio, 1940-2015 Rodrigo Guedes de Carvalho não deve ter gostado da decisão de Ricardo Costa, novo director-geral de informação da Impresa, de o retirar da direcção de informação da SIC. Quando soube da notícia, recuei até 2004 e recordei o dia em que cheguei ao Tribunal de Oeiras como arguido num processo que o agora simplesmente pivô me moveu, como responsável editorial pela escrita sibilina, mas bem humorada, de Clarinha e Gracinha de Sousa... Leia o resto →

Opinador para a RTP? Agarrem já esse!

Na terça-feira, uma hora mais cedo e “ajudado” pelo FC Porto-Dínamo Kiev, transmitido a seguir, o Telejornal, da RTP1, ficou à frente da concorrência nas audiências, embora por escassa margem. Infelizmente para alguns excelentes jornalistas da TV do Estado, tratou-se de um dia atípico, já que se vem ampliando o fosso que afasta o Telejornal do Jornal das 8, da TVI, e do Jornal da Noite, da SIC, fosso que chega a ultrapassar os 200 mil espetadores. A crise política dos últimos dois meses não ajudou a RTP, já que... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top