O Dyane que puxava um atrelado: e com eles cheguei a Andorra!

Uma reportagem recente da SÁBADO, que explicava como se chegava ao Algarve há 40 anos, remeteu-me para esses tempos quase pioneiros – da vida de que desfrutamos hoje – em que estradas estreitas, esburacadas e com demasiadas curvas faziam com que qualquer viagem, fosse para norte ou para sul, constituísse uma proeza. Rendido, até hoje, aos encantos do icónico Citroen 2CV, adquiri em 1979 a sua versão melhorada – eu sei que melhorada é discutível – o Dyane. Era um modelo azul-escuro, descapotável e com uma suspensão fantástica, que me... Leia o resto →

Quem pode é que deve pagar mais IRS

Cúmplice na política de cortes das pensões de Passos Coelho – inevitável perante a iminência de bancarrota que o Governo anterior enfrentou, como já tantos se esqueceram desse pormenor… – Assunção Cristas defende agora uma impossibilidade: a redução de IRS para todos os escalões. Ao longo de anos, tenho combatido aqui não só o prolongamento da CES, de que só em dezembro ficaremos livres, como a insistência de Passos na reformada Segurança Social – ideia fixa há dias retomada – que nada mais é, para o líder do PSD, do que a... Leia o resto →

José Manuel Trigo fechou o T Clube: ficaram as memórias

“Uma retirada a tempo é uma vitória” – Napoleão Bonaparte, imperador francês, 1769-1821 Há três décadas, vivi o meu período sempre em festa: ia a quase todas. Nessa altura, em Lisboa, afirmava-se um novo rei da noite, Pedro Luz – que lançou de uma assentada o Docks e o Indochina –, o Porto era Twins, e no Algarve lideravam o negócio, com públicos diferentes, Liberto Mealha e José Manuel Trigo, este a aproveitar o enorme sucesso da Trigonometria, para abrir, também na Quinta do Lago, o sofisticado T-Clube. Trigo tinha o melhor know... Leia o resto →

O regresso da amargura

Não vejo a política com palas nos olhos e recorro a uma visão periférica para concluir que Cavaco Silva foi um bom primeiro-ministro e um razoável Presidente, dadas as circunstâncias. Estive em Belém quando ele condecorou Artur Agostinho, em 2008, e tive oportunidade de salientar, e de agradecer, no Record, o sentido de justiça desse gesto. Cavaco deu a Portugal, ao longo de décadas, o melhor que soube e pôde – é essa a minha apreciação individual, que inclui uma admiração que pensei ser para o resto da vida. Foi por isso com... Leia o resto →

Manuel dos Santos nos 125 anos da praça do Campo Pequeno

Assinalou-se, no agosto findo, o 125.º aniversário da inauguração da praça do Campo Pequeno, ex-libris de Lisboa e uma catedral do toureio que faz parte de um tempo da minha vida que desapareceu. Na década de 60, cresci a ver as transmissões da RTP, em direto do Campo Pequeno, e assisti, por vezes ao vivo, à fase de declínio de dois ícones da festa brava: Salvação Barreto e Manuel dos Santos – ambos já retirados e com atuações esporádicas. Referi aqui o primeiro, em abril, a propósito da sua pega... Leia o resto →

Bárbara Guimarães: a verdade de uma investigação jornalística

A capa da antepenúltima edição da SÁBADO fez-me recuar 16 anos, ao agosto de 2001 em que o Tal&Qual, semanário que então dirigia, se preparava para revelar que o anunciado casamento de Bárbara Guimarães com Manuel Maria Carrilho não poderia realizar-se porque a apresentadora da SIC havia contraído matrimónio na República Dominicana, em 1999, com Pedro Miguel Ramos. A notícia chegara-me de fonte segura mas, a poucos dias da cerimónia anunciada com pompa, o advogado dos noivos ameaçou processar-nos, pelo que enviei um repórter a Punta Caña com a missão de trazer a... Leia o resto →

Comandante Zero já usa Rolex

Parecia a emanação de Che Guevara. Farda verde oliva, barba crescida, arma a tiracolo: era essa a imagem de Edén Pastora quando, a 22 de agosto de 1978, à frente de 23 guerrilheiros da sua milícia Frente Sul, tomou o Palácio Nacional de Manágua e fez mil reféns, numa ação que abanou o regime do ditador Anastasio Somoza. Essa proeza e o exílio que se seguiu no Panamá, após o governo da Nicarágua ter libertado 59 presos políticos e pago um resgate de meio milhão de dólares, tornaram o Comandante... Leia o resto →

Como se não houvesse amanhã

A última notícia sobre a irresponsabilidade portuguesa diz-nos que as novas reformas da há muito deficitária Caixa Geral de Aposentações, que caíam desde 2014, voltaram a aumentar este ano, com mais de 11.500 pedidos até agosto. Quer isso dizer que o prejuízo da CGA, que põe em causa a sustentabilidade de toda a Segurança Social, irá aumentar no futuro. Continuamos a varrer os problemas para debaixo do tapete, como se viu há pouco com a questão da sardinha. O organismo científico que aconselha a União Europeia sobre as quotas recomendou... Leia o resto →

Clubes populares sobrevivem com o apoio das autarquias

Li por estes dias no Correio da Manhã a notícia de que a Câmara Municipal de Oeiras vai comprar, por 280 mil euros, o edifício – a necessitar de reparação urgente – onde se encontra, desde 1975, a sede do Atlético Clube de Porto Salvo, fundado em 1948. Em 1972, fiz para o Diário de Lisboa cerca de três dezenas de reportagens em pequenas coletividades da região de Lisboa, e uma das primeiras foi com o Atlético de Porto Salvo, que tinha 600 associados e estava instalado num rés-do-chão de... Leia o resto →

Água, sardinhas ou reformas: como se não houvesse amanhã

A última notícia da irresponsabilidade portuguesa diz-nos que as novas reformas da há muito deficitária Caixa Geral de Aposentações, que caíam desde 2014, voltaram a aumentar este ano, com mais de 11.500 pedidos até agosto e uma média por pensão outra vez superior a mil euros. Quer isso dizer que o prejuízo da CGA, que põe em causa a sustentabilidade de toda a Segurança Social, irá aumentar no futuro. Continuamos a varrer os problemas para debaixo do tapete, como se viu há pouco com a questão da sardinha. O organismo... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top