Rui Vitória: um homem sábio

Meses atrás, dediquei aqui uma crónica ao excesso de entusiasmo dos sportinguistas, que rapidamente se transformou em simples esperança e deu depois naquilo que vemos hoje: uma desilusão profunda. Porque os desafios não se ganham com o prestígio das camisolas, mas antes com realismo, tranquilidade, engenho e trabalho – e ganham-se, especialmente, com os jogadores. É a essa postura que Rui Vitória tem sido fiel, tanto nos momentos em que as coisas não correm bem, como, em particular, quando as vitórias se sucedem, a plateia fica eufórica – e na... Leia o resto →

E Rui Vitória não foi comido de cebolada

Fui leitor e telespectador atento das dezenas de previsões que ao longo da semana se fizeram sobre o dérbi e antes do jogo tinha uma certeza: Rui Vitória estava tramado. Tudo indicava, acreditando nas teses dos cientistas, que lhe ia acontecer aquilo que mais teme na vida – ser comido de cebolada. Aliás, o treinador do Benfica vai ter ainda muito que sofrer até lhe reconhecerem os méritos sem més nem meios més, pois mal o apanharam com duas derrotas consecutivas logo o crivaram de balas. Desastre. O principal problema... Leia o resto →

Rui Vitória: o quarto falhado faltou ao encontro

A vida corre favorável a invejosos, frustrados e ressabiados. José Mourinho está a 8 pontos do líder na Premier, Cristiano Ronaldo soma desafios sem marcar na liga espanhola, e Jorge Jesus, agora a 5 pontos do Benfica, ainda não deixou a rampa de lançamento do falhanço da temporada passada e arrisca-se a voltar a não chegar ao título. Afinal, esses deficientes de caráter têm sempre razão: apostam na desgraça dos outros sabendo que a morte é certa e exultam logo que os bem- sucedidos da vida pareçam tão zeros à... Leia o resto →

Da Luz a Alvalade: da justiça ao regresso ao mapa

Com mais dois pontos que o Sporting na hora de fazer as contas – o que significa que foi mais regular ao longo do campeonato – só podemos concluir que o Benfica é campeão nacional com toda a justiça. Pessoalmente, como é sabido, tanto se me dava, embora deva reconhecer que sinto alguma alegria por esta conquista encarnada, tendo em consideração um único ângulo de abordagem: o que respeita ao sofrimento de Rui Vitória. Quando o Benfica estava a 7 pontos do Sporting e com a liga julgada perdida –... Leia o resto →

O Hino, Benzema e Rui Vitória, o resistente

Na edição de sábado, o provedor dos sócios do Belenenses, “roubou-me” o tema para esta crónica: a ideia, totalmente absurda, da SAD dos azuis, de querer tocar o Hino Nacional antes dos jogos no Restelo. E o brilho do texto de Rodrigo Saraiva faz com que nada do que eu pudesse aqui escrever acrescentasse algo de útil às razões que expôs. Pensei refletir então sobre o afastamento de Benzema do Europeu, uma decisão da federação francesa, “ratificada” num inquérito à opinião pública: quatro em cada cinco inquiridos aprovam que o... Leia o resto →

O Benfica ganhou porque a vida são os momentos

O resultado justo para o dérbi seria o 1-1 que apostei no TotoRecord, mas a vida, além de injusta, é feita de momentos. Em Alvalade, tudo começou com um, aos 20 minutos, e terminou com outro, aos 72. Começou com o golo do Benfica, na sequência do ressalto da bola em William, com Ewerton a adiantar-se temerariamente e Coates a recuperar do nó cego que levou de Jonas. E terminou com o não-golo do Sporting, quando o excelente Bryan Ruiz não conseguiu empurrar para a baliza escancarada o cruzamento milimétrico... Leia o resto →

Rui Vitória: a difícil vida do perdedor

Quando erradamente disse, na CMTV – nas Medalhas da Semana da Hora Record, na passada sexta-feira –, que Rafael Nadal era o único tenista de elite que ganhava nos confrontos individuais com Novak Djokovic, estava, afinal, a fazer uma previsão. Com a vitória de ontem do sérvio sobre Roger Federer, que coloca o marcador em 22-22 nos duelos entre ambos, resta, agora sim, ao número 1 mundial, anular a vantagem (23-22) do maiorquino sobre si – ou adiantar-se mesmo na contagem, já que alguns especialistas dão a coisa por empatada: 23-23.... Leia o resto →

Jorge Jesus, o Multiplicador

Mal foi conhecida a contratação de José Peseiro pelo Al Ahly – uma benesse dos deuses que poderá relançar a carreira do técnico – imprensa egípcia e adeptos torceram o nariz, já que Peseiro tem fama de “pé frio”, marcado como está (para sempre?) pela final da Liga Europa perdida pelo Sporting em Alvalade, há dez anos. Poderia ter acontecido o mesmo com Jorge Jesus com aquele título que voou, em 2013, após o golo da vida de Kelvin e que fez o treinador ajoelhar-se no Dragão? Poderia, se ele... Leia o resto →

Rui Vitória não faz milagres

Recordo-me de uma época, há uns bons 50 e tal anos, em que o Vitória de Setúbal desceu à segunda divisão e, para irritação minha, ganhou ao Belenenses os dois jogos, no Bonfim e no Restelo. É uma sina. Quando subimos, em 2012/13, iniciámos o campeonato goleados pelo Benfica B, algo idêntico ao que aconteceu agora: afastámos o Gotemburgo e o Altach do acesso à Liga Europa e fomos à Luz fazer de passarinhos e levar 6 do Benfica – ainda hoje Rui Vitória agradece aos céus a benesse. A... Leia o resto →

Vidigal e Simão: criadores de desgostos

O estádio de Aveiro parecia o da Luz: o Benfica atuou em casa. Mas faltava um quarto de hora para o final da partida e já as bancadas, antes repletas, apresentavam grandes clareiras. Os benfiquistas andam desanimados, desiludidos com o mau início de temporada da sua equipa. Não é nada que não se esperasse. Quando parte um treinador carismático e ao mesmo tempo se altera de forma tão drástica um onze – e uma filosofia de abordagem ao jogo – que demorou seis anos a construir, sabe-se que terá de... Leia o resto →

« Entradas mais antigas Posts mais recentes »

 
Back to top