Cada pessoa tem a sua época

Num destes dias, ao ver a psicóloga Teresa Paula Marques num debate na televisão, lembrei-me, por um lado do seu trabalho numa série que produzi para a RTP, em 1995 – A minha vida dava um filme, a que já aqui fiz referência em 2011, a propósito de uma entrevista de vida a Isabel Wolmar – e por outro da apresentadora do programa, uma mulher da velha guarda da estação oficial, que vivia, ela própria, num dilema frequente no seu escalão etário – ela tinha 62 anos. Dizia então Isabel... Leia o resto →

Anormais de agosto

A imagem da semana que retenho é a de um ex-primeiro-ministro a empurrar uma cadeira de rodas com a mesma determinação e capacidade de enfrentar momentos difíceis com que durante quatro anos conduziu os destinos do país – seja qual for o nosso julgamento individual sobre a dimensão dos seus méritos e deméritos. Uma imagem, aliás, que não foi poupada – nem essa – aos comentários escabrosos dos energúmenos à solta nas redes sociais, que por minutos mudaram o foco do que achavam de facto mais relevante: a foto de... Leia o resto →

O Gordo afunda-se e a RTP nada faz

Enganei-me. Escrevi aqui a 18 de março que um mês depois as audiências de “Apanha se puderes”, da TVI, não seriam tão boas como no início do programa. A verdade é que o concurso apresentado por Cristina Ferreira supera já em mais de 400 mil (!) espectadores “O preço certo”, e mesmo que Fernando Mendes e companhia consigam recuperar do KO dificilmente voltarão a liderar naquele horário – como vaticinei também, se calhar para me espalhar outra vez. É a vida. “Apanha se puderes” não é um êxito apenas pela... Leia o resto →

Lebre Cristina e Tartaruga Mendes

Apetecia-me hoje destacar o 4.º aniversário da CMTV, que ainda esta quinta-feira registou o dobro das audiências da TVI24 e deixou a SIC Notícias a um ponto – 2,8 por cento de share “contra” 1,8 – mas não quero abusar da paciência do leitor ao vincar os méritos da nossa estação. A realidade fala por si. Opto por outro êxito, o de “Apanha se puderes”, lançado na segunda-feira, dia em que atingiu 25,9% de share, e que na quinta chegou a 28,9%, marcas que ultrapassaram os 20 ou 22% de... Leia o resto →

RTP: seis décadas de aventura e pioneirismo

Com uma produção modesta e a participação especial de um presidente com escassa capacidade de comunicação – ai aquelas mãos esvoaçantes! – a RTP assinalou os seus 60 anos transmitindo um clássico: o Festival da Canção. Estando já tudo dito sobre a efeméride, dedico estas linhas aos cabouqueiros da estação, hoje quase só recordados, ao acaso, na RTP Memória ou, a sério, no Inesquecível do enorme e eterno Júlio Isidro. Recordo a minha irritação de anos, antes da chegada dos canais privados, com o peito inchado de alguns pavões da... Leia o resto →

A tese do fogo posto esconde o que não foi feito

O truque repete-se e a tragédia também: temos já metade da área ardida da UE. Impotentes perante a calamidade, os responsáveis pela organização do combate recorrem à gasta tese do fogo posto. Foi o que fez há dias, na RTP, Jorge Gomes, secretário da Administração Interna, ao lançar a suspeita de crime sobre os sinistros que se iniciam de noite. Tenta-se, desse modo, tirar o foco do que não se fez: a limpeza das matas e dos espaços à volta das casas, e o reforço da vigilância, com recurso a... Leia o resto →

O longo 10 de julho de 2016

Para alívio dos que não gostam daquilo que apelidam de “pontapé na bola”, terminaram trinta e tal dias de pesadelo, mas para os adeptos da mais bela modalidade desportiva do Planeta perdurarão por muito tempo as imagens da saga que levou de novo Portugal às páginas de ouro da história do futebol. Feito um balanço, podemos dizer que a TV portuguesa nos ofereceu praticamente tudo sobre o Europeu e a vitória lusitana. E dezenas de analistas completaram bem, com estilos para todos os gostos, inúmeros diretos e reportagens. Como era... Leia o resto →

A televisão do absurdo

Em 2015, vi no cabo, na Fox, quase toda a temporada inicial de “CSI: Cyber”, um fiasco que chegou aos 31 episódios, nos Estados Unidos, mas que a CBS cancelou. Estranhamente, a SIC transmitiu na passada segunda-feira – 14 meses depois da Fox – o primeiro episódio, e colocou no ecrã a palavra “estreia”. Se para o ano a série for repetida na SIC Mulher, o episódio n.º 1 voltará a ser uma estreia? Os autores das novelas portuguesas metem com frequência agentes da polícia nas casas das pessoas para... Leia o resto →

Fernando Medina está perdoado

Escrevo esta crónica depois de ter demorado 60 minutos num percurso em que ainda há pouco tempo perdia 10. Tudo por causa dos estaleiros que Fernando Medina vai espalhando por Lisboa. Calculará o leitor que eu esteja a ferver com o edil da capital. E estaria – como estive até à última noite de Santo António – se não tivesse assistido à maratona televisiva da RTP com as marchas populares a descer a Avenida. Medina passou horas a dar beijos e a abraçar conhecidos e desconhecidos representantes dos bairros, fazendo-o... Leia o resto →

Gente estúpida

Dizia Albert Einstein, que há apenas duas coisas infinitas, o Universo e a estupidez humana, e que só quanto à primeira não tinha ainda a certeza absoluta. Eu acrescentaria que a estupidez é como a morte, não podem ser vencidas, pelo que brincar com ambas é o que nos resta. Num “Preço Certo” desta semana vi o que julgava impossível: Fernando Mendes a sair do sério e a convidar um espectador, que o insultara numa rede social, a procurá-lo na RTP e a repetir a graça “olhos nos olhos”. E... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top