Raúl Jiménez não servia para o Benfica, porquê?

Se a partida do combativo e popular Mitroglou deixou muitos benfiquistas boquiabertos, maior foi a surpresa pelo empréstimo de Raúl Jiménez, um executante precioso, um avançado móvel e permanentemente ativo, 70 vezes internacional pelo México e cujo rendimento na Luz foi sempre positivo. Mas o Benfica vive um pouco nestes melodramas, seja com os guarda-redes, com os centrais ou com os homens do golo. E nem o fim de ciclo de Jonas, que a lei da vida anuncia, elimina as dúvidas no que respeita aos pontas-de-lança, pois tanto Ferreyra como... Leia o resto →

Luís Filipe Vieira e os duendes da madrugada

É raro debruçar-me sobre casos de polícia, o que acontece por três motivos. Primeiro porque há quem trate deles melhor do que eu. Depois porque não me deixo envolver em debates comandados por ódios e paixões – dei o que tinha a dar para essa irracionalidade. Finalmente porque aprecio em particular o resultado final das contendas jurídicas, o que conclui – terminado o confronto de inteligências, talentos e capacidades técnicas entre todos os que esgrimem estratégias e argumentos nas salas dos tribunais – se deve haver malandros condenados ou apenas... Leia o resto →

Ministro Costinha falhou o ajuste de contas

Ontem, quando o Nacional fez o segundo golo, recuei ao tempo em que Costinha era diretor-desportivo do Sporting, 2010 se bem me lembro, ano em que surgiu nos jornais uma foto que mostrava o “ministro” protegido por um guarda-chuva empunhado por outro empregado do Sporting – glorioso momento. Desapareceu depressa essa aura de todo-poderoso e os despedimentos seguintes, no Servette e no Paços de Ferreira, bem como os insucessos em Aveiro e em Coimbra, ajudaram a reconstruir a imagem de um técnico que regressou agora a Alvalade com clara vontade... Leia o resto →

E Sérgio Conceição ficou sem dinheiro para o jantar

Depois da exagerada comemoração do golo da vitória do FC Porto sobre o Boavista, Sérgio Conceição foi multado em 765 euros – vai ter de pedir dinheiro emprestado para o jantar. Claro que não se condena nem a reação efusiva do treinador ao êxito suado, nem o palavrão, infelizmente típico da gente do futebol… e dos jornalistas. O que está em causa é, sim, a feia provocação ao adversário, que sempre se deve honrar na hora em que se sai por cima. É a ausência de “fair play” de Sérgio... Leia o resto →

A manhã em que se viu quem manda no Benfica

Foi uma noite emocionante aquela que passei a saltar de canal em canal para saber o que os entendidos – e alguns desentendidos – diziam sobre a demissão iminente de Rui Vitória. Com os olhos postos nos telemóveis, os opinantes em estúdio iam não só dando pistas como sublinhando a segurança das suas fontes, aliás, uma forma reveladora do modo como a comunicação mudou. Claro que depressa dei por mim a imaginar o que aconteceria no centro de comando benfiquista, com os ajudantes de Vieira de olhos no líder e... Leia o resto →

Nasceram laterais à Seleção: depois da fome, a fartura…

Anos atrás, preocupado com a escassez de laterais portugueses de bom nível, o selecionador Carlos Queiroz chegou a pensar nos então defesas do Manchester United, os gémeos Rafael e Fábio Silva, jovens brasileiros que poderiam eventualmente obter a dupla nacionalidade mas que acabariam, no início da presente década, por alinhar pela seleção canarinha. Pois não há fome que não dê em fartura, uma vez que fomos campeões europeus com Cédric e Vieirinha, no Mundial tivemos Ricardo Pereira, avançámos (finalmente!) com João Cancelo, deixámos de fora um “patinho feio”, André Almeida,... Leia o resto →

Para criticar Jorge Jesus há que voltar à gramática

Se alguém tinha dúvidas quanto à forte personalidade de Jorge Jesus e à sua capacidade para liderar homens – capacidade que se revela, sem enganos, nos momentos mais difíceis da vida – bem pode voltar-se para os estafados pontapés na gramática porque de outro modo não vai lá. Nas novas imagens do assalto à academia do Sporting comecei por não encontrar nada de inesperado ou que verdadeiramente me impressionasse, desde a cumplicidade interna no desvio das câmaras de vídeo à selvajaria das tochas para cima dos automóveis. Mas acabei tocado... Leia o resto →

Tiago Fernandes não merecia uma oportunidade?

Foi pena já ter terminado o fim de semana dos grandes jogos, em que não pudemos dar conta de tudo o que de magnífico nos foi proporcionado – como a final da Libertadores, que me passou ao largo. No sábado, dois embates emocionantes e infelizmente simultâneos, em Madrid e em Dortmund, a acabarem com o mesmo marcador inconstante e gordo: 3-2. A seguir, outro confronto intenso, no Dragão, com FC Porto e Sp. Braga numa disputa fantástica que os portistas venceram por terem sido mais felizes e pela sua pressão... Leia o resto →

O dia em que Acuña voltou do exílio

Tiago Fernandes, de cabeça fresca, viu de imediato o que nos parecia absurdo mas que José Peseiro teimava em ignorar: a qualidade de Acuña exangue no exílio da lateral. E ontem, em São Miguel, um rosto novo, uma mudança inteligente, uma energia recarregada e a atitude dos jogadores – sempre eles! – fizeram a diferença. Para ser sincero, também me apetece defender José Peseiro, que em quatro meses no Sporting e perante circunstâncias particularmente difíceis cumpriu uma tarefa responsável e abnegada que merece elogios. Abandonado pela nova direção leonina –... Leia o resto →

Vitória, Peseiro, Lopetegui: não há treinadores para sempre

Imagem muito própria do futebol português aquela que a TV nos deu no sábado: Silas e o adjunto Zé Pedro, técnicos sem carimbo oficial, a trocarem pontos de vista no Jamor, dentro da cabina de acrílico do banco de suplentes. Cá fora, o porta-voz autorizado, Tiago Teixeira, treinador principal faz de conta, transmitia para o campo as instruções do boss. Foi este trio de raposas de currículo ainda modesto que montou a teia tática em que o Belenenses SAD – hoje, por respeito à fantástica atitude dos jogadores de cruz... Leia o resto →

« Entradas mais antigas Posts mais recentes »

 
Back to top