Nani deixou em Alvalade um rasto de desilusão

Sei que a situação financeira do Sporting é difícil mas, como simples observador, detesto ver sair Montero e Nani de Alvalade. O colombiano pela sua postura, de nível bem expresso na mensagem com que se despediu, mais uma vez, dos adeptos leoninos. E Nani… por ser Nani. Quando se volta a casa, ao cabo de uma carreira recheada de sucessos, e de milhões de euros, é para se desfrutar do afeto e não para quebrar de novo o elo que se refez. Porque o regresso de Nani tinha, para ele... Leia o resto →

O milagre das rosas no regaço de Bruno Lage

Goleada das antigas, das muito antigas, na Luz, para consagrar o conceito sábio que nos diz ser a mudança que surge com o final dos ciclos que faz avançar o Mundo. Com todo o respeito por Rui Vitória, foi a chamada de Bruno Lage ao comando da turma principal que permitiu o milagre das rosas que transformou o futebol do Benfica, sem ser preciso tapar o caminho aos bebés da Academia: ontem, Ferro foi titular – lamento, vale por dois Conti! – e Florentino entrou ainda a tempo de revelar... Leia o resto →

Uma cabeça de holandês em bandeja de prata

A verdade desportiva é muito bonita, mas confesso que preferia que o dérbi terminasse em 3-6, sem golos invalidados e num hino ao futebol de ataque e à beleza do jogo. Esse suposto resultado teria, aliás, evidenciado de forma ainda mais clara a fragilidade da defesa leonina e a pobreza relativa do plantel do Sporting – a propósito, por onde andam os talentos da Academia? Até esse bebé deitaram fora com a água do banho… É que ter como titulares – e digo-o com todo o respeito – futebolistas da... Leia o resto →

Renan irá ser um dos grandes guarda-redes do Sporting?

Nenhum outro clube em Portugal teve tantos grandes guarda-redes como o Sporting. Dos sete que incluo na galeria de ouro do emblema de Alvalade só não vi jogar João Azevedo, de quem o meu querido pai dizia maravilhas. Pude, sim – eu que fui fã do inesquecível José Pereira, pássaro azul e génio das balizas – vibrar, ao longo de décadas, com exibições fantásticas destes seis: Carlos Gomes, Vítor Damas, Tomislav Ivković, Peter Schmeichel, Ricardo e Rui Patrício. Com a partida do titular da Seleção para Inglaterra, o Sporting entrou... Leia o resto →

Hoje não foi outra vez segunda-feira

Que domingo irritante! Roger Federer foi afastado do Open da Austrália depois de ter desaproveitado – notem bem – 12 oportunidades de quebrar o serviço do adversário. Ronnie O’Sullivan perdeu o Masters de snooker por ter deixado Trump – o bom, atenção – chegar aos 7-1, vantagem irrecuperável. E eu tive um probleminha de saúde que me impediu – coisa rara nos últimos 16 anos – de honrar o meu compromisso com o Record e com os leitores. Moral da história: celebridades globais ou escribas da rua deles, não há... Leia o resto →

Rui Vitória deve sentir-se destroçado

Sexto triunfo em seis jogos do Manchester United na era pós-Mourinho. Ontem, o Tottenham caiu, em Wembley (0-1), com o golo a nascer de um passe longo mas preciso de Pogba para isolar Rashford, que meteu a mota e rematou para bater Lloris. A campanha 100 por cento vitoriosa de Solskjær – que constituiria uma espécie de “segunda morte” de Mourinho, não fosse ele quem é – diz bem do poder de que dispõem os jogadores para fazerem cair um treinador que por qualquer motivo os incomoda. Bruno Lage ainda... Leia o resto →

Um benfiquista na história do clássico

Já vejo futebol enquanto faço outras coisas para me animar quando a toada vai secante, como ontem sucedeu. Também Hugo Miguel, esse por dever de ofício, se distribuiu lindamente por duas tarefas: acompanhar os lances e fazer uma gestão equitativa dos cartões para que ninguém depois lhe chague o juízo. Os que reclamaram, sobre o intervalo, pela não exibição do segundo “amarelo” a Bruno Fernandes não passam de uns desequilibrados que não se importavam de aplicar a lei e estragar o jogo. Burros todos os dias. Mesmo entretido a tirar... Leia o resto →

Os adeptos só gostam de vencedores

Os chacais foram apertando o cerco e multiplicando as críticas a Rui Vitória, que carregava as culpas do que o Benfica fazia ou deixava de fazer: era tão bestial na goleada ao Sp. Braga como besta na derrota em Portimão. É a sina de quem não vence sempre – e ninguém vence sempre – e bem pensava Sérgio Conceição, quando ao seu jeito, sem rodriguinhos, dizia há dias qualquer coisa como isto: “Gostam de mim, enquanto ganhar”. É um sábio! Não adianta reclamar, o futebol é assim, uma máquina que... Leia o resto →

Raúl Jiménez não servia para o Benfica, porquê?

Se a partida do combativo e popular Mitroglou deixou muitos benfiquistas boquiabertos, maior foi a surpresa pelo empréstimo de Raúl Jiménez, um executante precioso, um avançado móvel e permanentemente ativo, 70 vezes internacional pelo México e cujo rendimento na Luz foi sempre positivo. Mas o Benfica vive um pouco nestes melodramas, seja com os guarda-redes, com os centrais ou com os homens do golo. E nem o fim de ciclo de Jonas, que a lei da vida anuncia, elimina as dúvidas no que respeita aos pontas-de-lança, pois tanto Ferreyra como... Leia o resto →

Luís Filipe Vieira e os duendes da madrugada

É raro debruçar-me sobre casos de polícia, o que acontece por três motivos. Primeiro porque há quem trate deles melhor do que eu. Depois porque não me deixo envolver em debates comandados por ódios e paixões – dei o que tinha a dar para essa irracionalidade. Finalmente porque aprecio em particular o resultado final das contendas jurídicas, o que conclui – terminado o confronto de inteligências, talentos e capacidades técnicas entre todos os que esgrimem estratégias e argumentos nas salas dos tribunais – se deve haver malandros condenados ou apenas... Leia o resto →

« Entradas mais antigas Posts mais recentes »

 
Back to top