Benfica, FC Porto e Sporting não se podem queixar

Se Deus gostasse de futebol e se metesse nessa alhada teria sido perfeito na repartição dos quatro títulos da época futebolística: Supertaça para o FC Porto, campeonato para o Benfica e taças da Liga e de Portugal para o Sporting. E escrevo perfeito porque houve justiça nas decisões por muito que as paixões doentias tudo ponham em causa ao arrepio da razão. Pior para os que as sustentam, que desse modo se sujeitam a um sofrimento inútil. O Benfica é campeão nacional porque foi mais regular e melhor equipa, porque... Leia o resto →

Extraordinário foi o preço de Ricardo Carvalho em 2004: 37 M€

Num tempo em que os valores das transferências ultrapassaram já os 100 milhões de euros, e até os 200 milhões, o valor a pagar pelo Real Madrid por Éder Militão, 50 milhões de euros, parece perfeitamente normal. O que não foi normal para a época foi o preço que o mesmo Real Madrid pagou por Pepe, 30 milhões de euros em 2007, o que corresponderia hoje a 34 milhões. Ou o que o Chelsea gastou, três anos antes, para contratar Ricardo Carvalho: também 30 milhões de euros, que equivalem hoje... Leia o resto →

Rui Vitória deve sentir-se destroçado

Sexto triunfo em seis jogos do Manchester United na era pós-Mourinho. Ontem, o Tottenham caiu, em Wembley (0-1), com o golo a nascer de um passe longo mas preciso de Pogba para isolar Rashford, que meteu a mota e rematou para bater Lloris. A campanha 100 por cento vitoriosa de Solskjær – que constituiria uma espécie de “segunda morte” de Mourinho, não fosse ele quem é – diz bem do poder de que dispõem os jogadores para fazerem cair um treinador que por qualquer motivo os incomoda. Bruno Lage ainda... Leia o resto →

Os adeptos só gostam de vencedores

Os chacais foram apertando o cerco e multiplicando as críticas a Rui Vitória, que carregava as culpas do que o Benfica fazia ou deixava de fazer: era tão bestial na goleada ao Sp. Braga como besta na derrota em Portimão. É a sina de quem não vence sempre – e ninguém vence sempre – e bem pensava Sérgio Conceição, quando ao seu jeito, sem rodriguinhos, dizia há dias qualquer coisa como isto: “Gostam de mim, enquanto ganhar”. É um sábio! Não adianta reclamar, o futebol é assim, uma máquina que... Leia o resto →

De Pepe a Ronnie O’Sullivan

Duas horas, um minuto e 39 segundos é o novo melhor tempo da maratona, conseguido ontem, em Berlim, pelo queniano Eliud Kipchoge, que retirou ao anterior máximo um minuto e 18 segundos. Eis uma bela oportunidade para recuar 33 anos e lembrar Carlos Lopes, então campeão e recordista olímpico – e campeão do Mundo de corta-mato – que em Roterdão, a 20 de abril de 1985, bateu também o recorde mundial da maratona. O início da glória olímpica e global no atletismo português, desafortunadamente afastada hoje das provas de fundo... Leia o resto →

Um sábio chamado Iker Casillas

Nunca percebi o que leva futebolistas profundamente identificados com um clube a procurarem outro – por norma em fase adiantada do seu percurso profissional e a troco de um punhado extra de dólares. Não me refiro a casos que têm mais a ver com uma bem sucedida gestão de carreira do que com fatores emocionais, como o de Figo, que conseguiu sair do Sporting para estar cinco anos no Barcelona, outros cinco no Real Madrid e mais quatro no Inter, ou de Ricardo Carvalho, que ganhou a Taça UEFA e... Leia o resto →

Pepe cometeu suicídio, quem o terá aconselhado?

Uma das coisas que me desgosta na próxima época do Real Madrid é que Pepe já não estará lá. Deixou o clube ao fim de uma década gloriosa em que conquistou tudo – até o coração dos adeptos. E se foi difícil alcançar esse estatuto de privilégio tão raro em Chamartín! Os meses iniciais foram atribulados e prolongaram-se, com o jogador preocupado em confirmar a sua fama de duro e a assumir atitudes antidesportivas que lançaram a desconfiança nas bancadas e fizeram dele um mal-amado. Mas Pepe não tardou em... Leia o resto →

O drama de Pepe

Perdido entre o Hannover 96 e o Valencia de Nuno Espírito Santo – e como já têm por lá saudades do treinador português… – João Pereira foi recuperado por Jorge Jesus no Sporting, acabando até por ganhar a titularidade a Schelotto. Mas aos 32 anos, com o regresso à Seleção tapado por Nélson Semedo e Cédric, por Cancelo e Vieirinha, o lateral preferido de Paulo Bento quer fazer ainda um grande último contrato e deixa Alvalade para tratar da vida. São opções. Em situação mais complicada está Pepe, em fim... Leia o resto →

Quarta-feira é dia de eclipse

Não é coincidência, é uma maneira de ser: quando vemos um jogador da Seleção a disponibilizar-se para estar com os adeptos, dar autógrafos, fazer selfies e distribuir sorrisos, há para aí 90 por cento de probabilidades de que esse voluntário seja Pepe. Ontem, num dia que não terá sido propriamente feliz, lá estava ele, o brasileiro, disponível e solidário com a nossa gente, que tornou sua. Já foi assim que conquistou o madridismo, após uma ou duas épocas em que atitudes menos positivas dentro do campo fizeram dele um nome... Leia o resto →

Perdemos? Não há drama

Aconteceu agora com a Seleção o fracasso esperado: esta altura da época, repleta de viagens e de competições – Champions incluída – em fases decisivas, é a pior para exigir um esforço suplementar aos jogadores, cuja vida depende dos êxitos conseguidos pelos clubes que lhes pagam. Como se não bastasse, o desafio com o Equador era particular, “a feijões”, ou “amigável” como dizem e escrevem alguns plumitivos. Haverá jogos que não sejam amigáveis? Depois, a Portugal faltou Pepe, que é pelo menos meia defesa, não jogou Rui Patrício, que é... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top