Uma grande dupla em Paços de Ferreira

  Curiosa e corajosa a aposta do P. Ferreira ao contratar Costinha para técnico principal. Curiosa porque o antigo internacional vem de duas tarefas falhadas: a da breve e quase irrelevante passagem pelo Sporting, como diretor desportivo, e a mal sucedida tentativa de evitar a descida do Beira Mar, já como treinador. Podemos dizer que ambas eram, por motivos diversos, missões impossíveis, mas isso não apaga o nome de Costinha dos respetivos guiões. É a vida. A sua contratação pelo Paços é, também por isso, corajosa, pois olhou-se a floresta... Leia o resto →

Veremos hoje de que são feitos os nossos jogadores

O ex-internacional José Luís dispensou ontem, na Hora Record da CMTV, as falinhas mansas com que tantas vezes se “arredondam” críticas a situações e comportamentos que só em privado se podem ouvir. José Luís acusou os jogadores da Seleção – não todos, claro – de alguma falta de empenhamento. Aproveito a boleia: fico com a mesma sensação sempre que vejo futebolistas talentosos, muitos deles de altíssima produção nos clubes que representam, não corresponderem, em campo, ao rendimento que sabemos serem capazes de ter. Temo o pior hoje, confesso. Não desta feita... Leia o resto →

Um país de sombras e de fantasmas

O jogo do campeonato nacional de juvenis, entre FC Porto e Benfica – disputado em VN de Gaia e de que resultou a conquista do título por parte dos encarnados – acabou com os jovens envolvidos em cenas de pancadaria em tudo semelhantes às que por vezes nos chegam de países terceiromundistas. Já a final da Liga Europeia de hóquei em patins, entre os mesmos emblemas – igualmente realizada em instalações portistas e também com a vitória a sorrir aos lisboetas – decorreu com poucos incidentes, se calhar porque aconteceram... Leia o resto →

Grande Paços de Ferreira

  Andamos todos “distraídos” com a rivalidade Benfica-FC Porto e com a nova vida do Sporting – e até, por vezes, com a subida de divisão do Belenenses – e não damos, penso eu, o devido relevo à proeza extraordinária do Paços de Ferreira. Terceiro lugar na Liga, derrotas quatro – apenas com os dois primeiros da tabela – e apuramento para o “play off” da Liga dos Campeões? Hum… E o dinheiro que gastou, as dívidas que deve ter? Nada disso, o orçamento para esta época foi idêntico ao... Leia o resto →

O Bernabéu ainda há-de chorar

O ódio ao sucesso dos portugueses em Madrid só não se abate sobre Cristiano Ronaldo porque o seu rendimento é inquestionável e porque se o chateassem muito bateria as asas – ninguém pode, verdadeiramente, obrigar um futebolista que não quer jogar por um clube, a fazê-lo. Pepe foi considerado “indigno” de vestir a camisola do Real, Fábio Coentrão um verdadeiro “barrete”, Ricardo Carvalho um jogador “acabado”. Agora, ontem mesmo, um colunista espanhol escreveu que José Mourinho é “un chulo”.  Como se um técnico que ganhou uma liga, uma taça e... Leia o resto →

Os bandidos

  O Ministério Público pediu ontem a absolvição de Rui Pedro Soares, ex-administrador não executivo do polo tecnológico de Oeiras, Américo Tomatti, ex-presidente da comissão executiva do Taguspark, e João Carlos Silva, antigo administrador do polo e ex-presidente da RTP – os três arguidos do chamado “processo Taguspark” – considerando que não ficou provado o crime de corrupção para ato ilícito. Vivemos num país que deixa escapar criminosos por erros de investigação, irregularidades processuais, prescrição de prazos e outras habilidades jurídicas e que – talvez para disfarçar essa falta de... Leia o resto →

E Tito voltou!

Talvez porque ontem tenha jogado, e ganho, o Real Madrid, hoje apetece-me falar do Barcelona ou, mais propriamente, dos treinadores do Barcelona. Não sei se é um perfil à moda da casa ou se apenas calhou, o que tenho por certo é que ao estilo único de Pep Guardiola se seguiu o “low profile”, também distintíssimo, de Tito Vilanova. Basta ver o comedimento e tantas vezes o desportivismo com que estão no banco, e depois o discurso contido e até o “fair play” com que enfrentam as câmaras e os... Leia o resto →

30 anos, tanto tempo…

Tive ontem o prazer de rever Artur Jorge. Não sendo dado a atos sociais, recordo-me do nosso último encontro, na Praia da Rocha, treinava ele o Portimonense e dirigia eu o “Off-side”, em finais de 1982 – fez 30 anos, que Deus misericordioso nos acuda.  Era sábado, o Artur guiava o carro e o Bessa Tavares, que era, creio, chefe do departamento de futebol do emblema algarvio, levava na mão, no lugar do pendura, os bilhetes para o jogo do dia seguinte, destinados à malta do jornal. Como é a... Leia o resto →

Keane acha que Nani foi bem expulso. Fala quem sabe…

A imprensa mundial reuniu-se ontem e anteontem num grande fórum de entendimento quanto ao pé em riste com que Nani atingiu Arbeloa: foi involuntário, pelo que não se justificava a expulsão do jogador português. Concordo. Mas tal como Astérix, que resistiu aos romanos na sua pequena aldeia da Gália, há sempre alguém que diz não. É verdade, ao contrário do que parecia, não houve assim tanta unanimidade e o apitador turco Çakir recebeu talvez o apoio mais inesperado: veio de Roy Keane, tão insuspeito quanto é certo ter sido o... Leia o resto →

Ramos, o grande agitador

É um daqueles jogadores pelos quais tudo pode passar num desafio. No Bernabéu, no sábado, foi Sergio Ramos quem não conseguiu evitar o remate vitorioso de Messi, foi ele quem cabeceou para o golo da vitória e foi ainda o defesa madridista quem cometeu uma falta para grande penalidade – não considerada pelo árbitro e que poderia dar o empate ao Barcelona.  Ontem, em Old Trafford, fez autogolo e voltou a cometer falta para penálti – e para um cartão amarelo que o impediria de jogar a 1.ª mão dos... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top