O Dyane que puxava um atrelado: e com eles cheguei a Andorra!

Uma reportagem recente da SÁBADO, que explicava como se chegava ao Algarve há 40 anos, remeteu-me para esses tempos quase pioneiros – da vida de que desfrutamos hoje – em que estradas estreitas, esburacadas e com demasiadas curvas faziam com que qualquer viagem, fosse para norte ou para sul, constituísse uma proeza. Rendido, até hoje, aos encantos do icónico Citroen 2CV, adquiri em 1979 a sua versão melhorada – eu sei que melhorada é discutível – o Dyane. Era um modelo azul-escuro, descapotável e com uma suspensão fantástica, que me... Leia o resto →

José Manuel Trigo fechou o T Clube: ficaram as memórias

“Uma retirada a tempo é uma vitória” – Napoleão Bonaparte, imperador francês, 1769-1821 Há três décadas, vivi o meu período sempre em festa: ia a quase todas. Nessa altura, em Lisboa, afirmava-se um novo rei da noite, Pedro Luz – que lançou de uma assentada o Docks e o Indochina –, o Porto era Twins, e no Algarve lideravam o negócio, com públicos diferentes, Liberto Mealha e José Manuel Trigo, este a aproveitar o enorme sucesso da Trigonometria, para abrir, também na Quinta do Lago, o sofisticado T-Clube. Trigo tinha o melhor know... Leia o resto →

Manuel dos Santos nos 125 anos da praça do Campo Pequeno

Assinalou-se, no agosto findo, o 125.º aniversário da inauguração da praça do Campo Pequeno, ex-libris de Lisboa e uma catedral do toureio que faz parte de um tempo da minha vida que desapareceu. Na década de 60, cresci a ver as transmissões da RTP, em direto do Campo Pequeno, e assisti, por vezes ao vivo, à fase de declínio de dois ícones da festa brava: Salvação Barreto e Manuel dos Santos – ambos já retirados e com atuações esporádicas. Referi aqui o primeiro, em abril, a propósito da sua pega... Leia o resto →

Bárbara Guimarães: a verdade de uma investigação jornalística

A capa da antepenúltima edição da SÁBADO fez-me recuar 16 anos, ao agosto de 2001 em que o Tal&Qual, semanário que então dirigia, se preparava para revelar que o anunciado casamento de Bárbara Guimarães com Manuel Maria Carrilho não poderia realizar-se porque a apresentadora da SIC havia contraído matrimónio na República Dominicana, em 1999, com Pedro Miguel Ramos. A notícia chegara-me de fonte segura mas, a poucos dias da cerimónia anunciada com pompa, o advogado dos noivos ameaçou processar-nos, pelo que enviei um repórter a Punta Caña com a missão de trazer a... Leia o resto →

Comandante Zero já usa Rolex

Parecia a emanação de Che Guevara. Farda verde oliva, barba crescida, arma a tiracolo: era essa a imagem de Edén Pastora quando, a 22 de agosto de 1978, à frente de 23 guerrilheiros da sua milícia Frente Sul, tomou o Palácio Nacional de Manágua e fez mil reféns, numa ação que abanou o regime do ditador Anastasio Somoza. Essa proeza e o exílio que se seguiu no Panamá, após o governo da Nicarágua ter libertado 59 presos políticos e pago um resgate de meio milhão de dólares, tornaram o Comandante... Leia o resto →

Clubes populares sobrevivem com o apoio das autarquias

Li por estes dias no Correio da Manhã a notícia de que a Câmara Municipal de Oeiras vai comprar, por 280 mil euros, o edifício – a necessitar de reparação urgente – onde se encontra, desde 1975, a sede do Atlético Clube de Porto Salvo, fundado em 1948. Em 1972, fiz para o Diário de Lisboa cerca de três dezenas de reportagens em pequenas coletividades da região de Lisboa, e uma das primeiras foi com o Atlético de Porto Salvo, que tinha 600 associados e estava instalado num rés-do-chão de... Leia o resto →

Carlos Ventura Martins: uma figura

Tive a felicidade de trabalhar em algumas redações de luxo. Uma delas, que já aqui tenho referido e que integrei entre 1975 e 1977, foi a do Jornal Novo, dirigido inicialmente por Artur Portela Filho. Por ela passaram nomes maiores do jornalismo e da cultura como Luís Paixão Martins, António Ribeiro, Maria Armanda Passos e José Sasportes ou os já desaparecidos José Manuel Teixeira, Maria Helena Mensurado, Carlos Pinto Coelho e Mário Bettencourt Resendes. Entre esses e muitos outros se destacou aquele que foi o mais competente secretário de redação... Leia o resto →

Crónica do tempo em que o abade era o dono da bola

Nos anos 50, Portugal era outra coisa, e já pouco, muito pouco resta desse país pobre e atrasado. No interior, a modéstia dos recursos era total. Recordo particularmente o interesse dos miúdos nas famosas coleções de fotografias de jogadores de futebol, uns cromos de papel barato enrolados em rebuçados da pior qualidade e que depois se colavam numa caderneta com o miolo de batata assada a fazer de cola. A concorrência era enorme porque só um felizardo completaria a coleção – havia apenas uma foto de determinado jogador, designada como... Leia o resto →

Promessa a José Gama está cumprida

Estava em falta com José Gama, o antigo deputado europeu e presidente da Câmara de Mirandela entre 1989 e 1995, que levou o desenvolvimento a uma cidade antes perdida nas fragas de Trás-os-Montes. Fui seu amigo e nunca me perdoei o facto de não me ter esforçado o que devia para corresponder ao convite, tantas vezes reiterado, para apreciar in loco o seu trabalho. Vinte e quatro anos depois de – em Velas, São Jorge, Açores – lhe ter prometido fazer a viagem, e 17 anos após o seu desaparecimento,... Leia o resto →

Doutor Medina: calou-se mais uma voz incómoda

Deixava por vezes os jornalistas ao telefone a falar sozinhos quando achava que bastava de conversa, comia peixe grelhado num restaurante italiano, dizia o que pensava sem se preocupar que houvesse quem não gostasse, tinha uma personalidade colorida e excêntrica – e era de um pessimismo irritante. Advogado e fiscalista, analista de economia no ativo aos 85 anos, Medina Carreira deixou-nos na segunda-feira, vítima de doença que não o impediu de trabalhar quase até ao fim: a 17 de maio último, no seu programa Olhos nos olhos, da TVI24, moderado por Pedro... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top