Quem pode é que deve pagar mais IRS

Cúmplice na política de cortes das pensões de Passos Coelho – inevitável perante a iminência de bancarrota que o Governo anterior enfrentou, como já tantos se esqueceram desse pormenor… – Assunção Cristas defende agora uma impossibilidade: a redução de IRS para todos os escalões. Ao longo de anos, tenho combatido aqui não só o prolongamento da CES, de que só em dezembro ficaremos livres, como a insistência de Passos na reformada Segurança Social – ideia fixa há dias retomada – que nada mais é, para o líder do PSD, do que a... Leia o resto →

O regresso da amargura

Não vejo a política com palas nos olhos e recorro a uma visão periférica para concluir que Cavaco Silva foi um bom primeiro-ministro e um razoável Presidente, dadas as circunstâncias. Estive em Belém quando ele condecorou Artur Agostinho, em 2008, e tive oportunidade de salientar, e de agradecer, no Record, o sentido de justiça desse gesto. Cavaco deu a Portugal, ao longo de décadas, o melhor que soube e pôde – é essa a minha apreciação individual, que inclui uma admiração que pensei ser para o resto da vida. Foi por isso com... Leia o resto →

Como se não houvesse amanhã

A última notícia sobre a irresponsabilidade portuguesa diz-nos que as novas reformas da há muito deficitária Caixa Geral de Aposentações, que caíam desde 2014, voltaram a aumentar este ano, com mais de 11.500 pedidos até agosto. Quer isso dizer que o prejuízo da CGA, que põe em causa a sustentabilidade de toda a Segurança Social, irá aumentar no futuro. Continuamos a varrer os problemas para debaixo do tapete, como se viu há pouco com a questão da sardinha. O organismo científico que aconselha a União Europeia sobre as quotas recomendou... Leia o resto →

Água, sardinhas ou reformas: como se não houvesse amanhã

A última notícia da irresponsabilidade portuguesa diz-nos que as novas reformas da há muito deficitária Caixa Geral de Aposentações, que caíam desde 2014, voltaram a aumentar este ano, com mais de 11.500 pedidos até agosto e uma média por pensão outra vez superior a mil euros. Quer isso dizer que o prejuízo da CGA, que põe em causa a sustentabilidade de toda a Segurança Social, irá aumentar no futuro. Continuamos a varrer os problemas para debaixo do tapete, como se viu há pouco com a questão da sardinha. O organismo... Leia o resto →

Malditos turistas!

Começou por ser uma ou duas e já passa das três: são agora quatro (!) as horas que os turistas que chegam de países fora da União têm de esperar em longas filas, no aeroporto de Lisboa, para se submeterem ao crivo do SEF. É um espectáculo humilhante para quem participa e para quem vê, próprio do Terceiro Mundo que há muito deixámos mas ao qual sempre acabamos por regressar. Há dias, a caminho do avião, pude verificar que o calvário da entrada na capital não é o único: na... Leia o resto →

A Ribeira já não é a mesma coisa

Adoro o Porto, onde vou três ou quatro vezes por ano só para desfrutar da cidade. Mas há muito que não viajava para lá no verão, pelo que desta vez apanhei um choque. Ainda há dias, Álvaro Covões dizia numa entrevista que que “todo este milagre económico” que estamos a viver “se deve ao turismo”, pelo que, acrescento eu, nos tornámos reféns dele, do turismo. Beneficiando talvez como só Lisboa do boom salvador, a Invicta sofre também com a outra face da moeda: a da descaracterização da cidade. Descer à... Leia o resto →

Eu é que não lhes dava emprego

Passos Coelho tem aproveitado bem – por vezes até bem de mais – os últimos rombos na segurança do país. Há dias, esteve feliz ao acusar o Governo de só servir “quando as notícias são boas”. Já Luís Montenegro, líder da bancada parlamentar do PSD, foi menos hábil ao dizer, a propósito do furto de armas e munições em Tancos: “Tem de haver alguma anomalia nos processos de vigia e de fiscalização, esperemos que não seja falta de pessoal”. Como se não tivesse sido durante a passagem de PSD e... Leia o resto →

Uma tragédia e duas calamidades

Não percebo nada de incêndios mas ouço bem e não sou propriamente estúpido. E se tudo o que registei sobre a tragédia de Pedrógão Grande foi insuficiente para ter certezas, há uma que me fica dos depoimentos dos cientistas e dos homens no terreno: a do modo como se propagou o fogo. Quando às 14 e 43 daquele desgraçado sábado se começou a atacar a primeira ignição em Pedrógão – que Jaime Marta Soares crê ter tido origem criminosa e cujas chamas os bombeiros quase tinham circunscrito umas horas mais... Leia o resto →

Uma mentira à venezuelana

Pressinto que José Luís Carneiro seja o secretário de Estado mais popular do Governo. Talvez por ser como aqueles jornalistas que mal se verifica um acidente com duas ou três mortes, ainda que nas Barbados, logo acrescentam não haver portugueses entre as vítimas. Pois o secretário Carneiro não se fia nas notícias e parece até falar-nos do local dos sinistros mal se sabe de um compatriota em apuros – como desgraçadamente sucedeu agora com o incêndio de Londres. Mas nem tudo são rosas na vida política e há dias, a propósito... Leia o resto →

Xanana, o herói desconhecido

Em 2003, estava no Record há meses quando chegou a notícia da morte de Vasques, um dos famosos cinco violinos do Sporting. Sofri um duplo choque, pois percebi que alguns jornalistas não sabiam quem tinha sido o futebolista e outros não percebiam porque se emocionavam tanto aqueles que sentiam o seu desaparecimento. Bem faz Nuno Gomes em preocupar-se por muitos miúdos da Academia do Benfica desconhecerem quem é Fernando Chalana, o eterno – julgamos nós – pequeno genial. A memória, mesmo a mais recente, perde-se com uma rapidez chocante e... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top