O fracasso da TVI

A mudança na direção de programas marcou o início do regresso da SIC à liderança e a contratação de Cristina Ferreira foi seguida de outras medidas de gestão de recursos e de captação de audiências igualmente importantes. O segundo tiro na “mouche” de Daniel Oliveira foi o da recuperação de Júlia Pinheiro. A apresentadora, “desaparecida” após o “flop” das manhãs, encontrou no novo “Júlia” o porto de abrigo, sendo raro o dia em que não bate o “A tarde é sua”, de Fátima Lopes. Desgastada pelas piadolas e pelo equívoco... Leia o resto →

Bom para Cristina, mau para Júlia

O árbitro sueco Mohamed Lahyani, um dos melhores do Mundo, ficará para sempre ligado ao US Open de ténis, que amanhã finda, por ter sido intérprete de um caso insólito. Incomodado com o descontrolo emocional do australiano Nick Kyrgios, um dos novos talentos da modalidade, que perdia com o francês Pierre-Hugues Herbert, Lahyani desceu da cadeira e tentou serenar Kyrgios. Mas as câmaras de TV captaram parte do diálogo, em especial uma frase do juiz: “Eu quero ajudar-te”. Aquilo que parecia um ato piedoso e louvável, rapidamente passou a tema... Leia o resto →

Cristina e Júlia: estrelas de papel

Esta semana, foram conhecidos dois insucessos editoriais ligados a vedetas da TV: a Impresa salvou Júlia Pinheiro de fechar o projeto digital “Júlia – de bem com a vida” e Cristina Ferreira vê chegar ao fim a revista “Cristina”. A aposta de Júlia poderia ter resultado sem o apoio do seu grupo de média porque na internet nunca se sabe o que vai viver e o que vai morrer. Já o êxito no arranque da “Cristina” toldou uma evidência: o público da apresentadora da TVI não gasta 3 euros numa... Leia o resto →

 
Back to top