Gallardo

Como é meu hábito, lia no sábado o diário “Marca”, e desfrutava da excelência da crónica “Comprimidos”, que preenchia na totalidade a última página do melhor desportivo espanhol, quando dei comigo a pensar na caterva de anos que tiveram de decorrer para que o autor do texto, Juan Ignacio Gallardo, chegasse a diretor daquele jornal. Na minha década à frente do Record, o título de Madrid trocou quatro ou cinco vezes de responsável editorial, tentando que “a frescura de um novo olhar” – como Bárbara Reis definiu, no seu texto... Leia o resto →