Diários perdem 18 mil exemplares por dia

Média de vendas em banca de diários e semanários, em exemplares por dia ou por edição, segundo o relatório da APCT referente ao período de janeiro a agosto de 2016: CM 98 413, Expresso 69 342, JN 43 084, Record 39 599, Sábado 28 145, Visão 21 567, O Jogo 13 848, Público 13 599, DN 9 489. Notas: a Sábado afasta-se da Visão; o Record aproxima-se do JN; o Público já vende mais de 4 mil exemplares que o concorrente DN; o CM vende mais de quatro vezes o... Leia o resto →

Diários catalães salientam vitória portuguesa no Europeu… “sin” Cristiano Ronaldo

A rivalidade entre Real Madrid e Barcelona é levada muito a sério pelos diários desportivos espanhóis, que definem claramente as suas trincheiras: Marca e As são pró-merengues, Sport e Mundo Deportivo assumem-se, em qualquer circunstância, como acérrimos defensores do Barça. O insucesso de Messi na Copa América e a sua condenação judicial por fuga ao fisco, que deixaram o argentino fragilizado, fazem com que os jornais catalães procurem diminuir os êxitos de Cristiano Ronaldo, que conquistou agora o Europeu com a Selecção, 43 dias depois de ter ganho a Champions... Leia o resto →

Vendas em banca em 2016: só o Record sobe

Vendas em banca em JAN/FEV2016 – dados da APCT e percentagem em relação ao mesmo período do ano anterior. Diários: Correio da Manhã 100 243 exemplares -3%, JN 43 615 -9%, Record 38 645 +1%, Público 13 758 -7%, O Jogo, 13 313, -11%, DN 9 512 -9%; semanários: Expresso 68 210 -6%,  Sábado 24 975 -1%, Visão 19 787 -15%. A Bola, o i e O Sol deixaram de revelar os seus números, deduzindo-se, através das tiragens (que não consegue esconder), que o “desportivo” do Bairro Alto venderá 26/27 mil exemplares, menos... Leia o resto →

Um destino sempre igual para jornais e jornalistas

No próximo dia 15, o semanário Sol e o diário i – que em 2014 somaram prejuízos de 8,2 milhões de euros – suspenderão a publicação, dando origem a outro projecto que ficará apenas com um terço dos colaboradores. Fiel à sua natureza, o Sindicato dos Jornalistas já veio aconselhar os trabalhadores a não aceitarem a rescisão amigável, como se restasse solução melhor a quem fica desempregado. Situação velha esta e que me traz à memória o que aconteceu no Portugal Hoje – a que me refiro na peça ao... Leia o resto →

Teresa Pais para sempre: 2015, os últimos posts

Descansar (último post da Teresa, publicado em 27 de abril de 2015, no seu blog Ponto Final) Continuo viva. “Ressuscito” com alguma frequência. Houve aí um dia ou dois em que praticamente morri, e não me pareceu mal. Há alturas em que o fim do pesadelo é uma opção muito simpática. E é quando embato no desistir/não desistir. Tenho ou não esse direito? Depois de tantos anos de luta e sofrimento acabarei como aquela que desistiu? Será essa a memória final? Prometi a mim mesma, há alguns anos, que o maior... Leia o resto →

Uma estirpe que acabou

No início dos anos 70, os jornalistas nasciam ainda por geração espontânea. Levados para as redacções por outros jornalistas ou admitidos por recomendação de alguém, cedo havia que perceber se tinham algum talento para a profissão ou se eram simples candidatos a um emprego. Entravam então em acção chefes, coordenadores e outros seniores com tarimba, malta da pesada que habilmente punha a nu os defeitos das criaturas. Se não chegavam a horas, se assassinavam o português, se não entendiam à primeira, se desprezavam o rigor ou se preferiam o individualismo... Leia o resto →

Há sempre alguém que julga poder mandar nos jornalistas

“Para plantar, há escolhas; para colher, apenas o que plantaste” – provérbio oriental Ao longo de uma carreira de meio século foram inúmeras as situações em que, como director ou simples repórter, me senti condicionado – e desde logo porque venho ainda (ai, ai…) dos tempos da Censura. Não sinto hoje a nostalgia do trabalho diário ou da pressão dos resultados, o que me faz falta é uma confrontação de vez em quando… Como aquela que tive, em 2011, quando o Record publicou uma pequena notícia sobre um árbitro, cuja... Leia o resto →

Visto prévio na comunicação social: uma ideia saída dos vapores do éter

Deve ter nascido do vinho a peregrina ideia de tentar substituir as direcções editoriais por tutelas de aprovação prévia do acompanhamento jornalístico dos futuros actos eleitorais. Felizmente que filhos e netos dos gargantas fundas que fizeram, no passado, o êxito de jornais como o Tal&Qual ou O Independente, herdaram os talentos do serviço público e as misérias da delação, pelo que hoje ninguém consegue ter tosse sem que vizinhos e primas conheçam a marca do xarope. A golpada de S. Bento pôs de acordo a corporação dormente cujos braços rivais... Leia o resto →

Vendas em banca continuam em queda no início de 2015

APCT jan/fev 2015 Vendas em banca dos semanários: Expresso 72247 (sobe 2% em relação a jan/fev 2014), Sábado 25258 (cai 15%), Visão 23242 (cai 13%), Sol  12513 (sobe 9%). Diários: CM 103001 (cai 6%), JN 48059 (cai 11%), Record 38187 (cai 8%), O Jogo 14926 (cai 8%), Público 14787 (cai 4%), DN 10433 (cai 13%), i 4148 (sobe 30%), DE 3224 (sobe 3%), Negócios 1731 (cai 15%). A Bola continua a recusar a auditoria da APCT, mas e-se que as suas vendas em banca estão já abaixo dos 30 mil... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top