O achado de “Casamento à primeira vista”

A criatividade venceu a inércia: depois de anos a ver passar os comboios, o “restyling” nos conteúdos de “O preço certo” fê-lo voltar ao pódio dos mais vistos do dia – aconteceu na última quarta-feira, com 891 mil espectadores. Chegou na altura certa a “refundação” de Mendes, Vital e companhia, já que o período anterior aos telejornais das 20 conhecera, na segunda-feira, um novo líder, “Casamento à primeira vista”, da SIC, que bateu não só o concurso da RTP como o moribundo “Apanha se puderes”, da TVI – uma reviravolta... Leia o resto →

Centeno, o anestesista

Quem gere orçamentos só dispõe de um recurso quando as receitas não bastam: reduzir custos. Foi por certo isso, e não o contrário, que fez Daniel Oliveira ao assumir a direção de programas da SIC. Ou seja, para contratar Cristina Ferreira, ele não aumentou as despesas da estação e terá precisado até de as diminuir, cortando talvez retribuições menos rentáveis ou limpando gorduras do anterior “star system” e retocando a grelha – exemplo: a recuperação para o “late night” do canal principal de uma rubrica cor de rosa de sucesso... Leia o resto →

Elogios de amigos em “Conta-me como és”

O êxito do “Alta definição”, na SIC, cuja fórmula permite a Daniel Oliveira o distanciamento que faz dos entrevistados os efetivos protagonistas, leva a que outros comunicadores se atrevam a tentar a sua sorte no género. Foi o caso de Fátima Lopes, cuja popularidade a TVI aproveitou para lançar “Conta-me como és”. A apresentadora, com o jeito peculiar que a distingue, criou uma espécie de clube de amigos, em que as entrevistas – que ela classifica de “intimistas” – se transformam em sessões de elogios mútuos, a que Fátima soma... Leia o resto →

Último Canto Direto: uma frase, uma vida

Com o devido respeito: jamais iria à RTP Memória. Gosto mais de olhar para a frente do que para trás e custa-me ver pessoas que foram extraordinárias nas mais diversas áreas a viverem sistematicamente voltadas para o que fizeram e para a necessidade de recordar, a todo o momento, quão importantes foram. Mas isso não me leva, nunca, a desprezar o passado, pelo contrário, procuro honrá-lo e respeitar todos aqueles que, ao longo dos tempos, foram grandes nas suas atividades. A poucos dias de deixar a direção de Record, após... Leia o resto →

Uma grande crónica de Daniel Oliveira

Com a devida vénia, a seguir reproduzo o texto assinado por Daniel Oliveira, na sua coluna Verde na bola, e publicado na última página da edição impressa de Record de hoje. Cair do pedestal Diz-se de José Mourinho que ou se ama ou se odeia. Pois eu não o amo seguramente. Não gosto da sua arrogância calculista e dos seus modos de menino prodígio. Se é para ser malcriado, prefiro o “que lo chupen e que lo sigan chupando” do grande Maradona. E também não sou fã do futebol de Mourinho.... Leia o resto →

Mensagem de Jorge Sampaio a Record

Leio jornais desportivos desde sempre… Não foram nem são os mesmos, vou alternando, vejo os títulos. O que é que verdadeiramente me interessa? O futebol, só e mais nada. Não me detenho nas vicissitudes ou nas omissões da orgânica – as associações, as federações, as ligas, cá dentro ou lá fora. Em dia de aniversário, nada disso se celebra. Limito-me a dizer que deveria ser diferente, obviamente para melhor. Do que gosto é de futebol. Do que se joga, qual a estratégia e a  tática, o que são os cidadãos... Leia o resto →

 
Back to top