Fernando Santos: o notável engenheiro geracional

Uma palavra de apreço é devida à Seleção e ao notável trabalho de renovação protagonizado por Fernando Santos. Disputar duas partidas fora e ganhá-las com clareza sem ter, no grupo de 25, jogadores da qualidade de Ricardo Quaresma, João Moutinho, Anthony Lopes, Rafael Guerreiro, Manuel Fernandes, Bruno Alves, Gonçalo Guedes, André Gomes, Ricardo Pereira ou Gelson Martins, para nem sequer valorizar a ausência de Cristiano Ronaldo – e só nesta “short list” são 11 os “excluídos” – é proeza tanto maior quanto, ao contrário do que muitas vezes sucede, a... Leia o resto →

Nani errou mas Peseiro exagera

José Mourinho perdeu os jogadores, ou boa parte dos que contam, e parece missão impossível reverter a situação do Manchester United, que à sétima jornada da Premier está a 9 pontos dos líderes Manchester City e Liverpool. Ótimo momento o que se avizinha para aqueles inimigos de Mou cuja existência se resume a manter a esperança de o ver falhar… E quase o mesmo se passa com Leonardo Jardim, que paga, com o Monaco na zona de descida da Ligue 1, os 400 milhões de euros de lucro que a... Leia o resto →

André Villas-Boas disse agora ser verdade o que antes classificou de palhaçada…

Em novembro de 2009, André Villas-Boas e o Sporting chegaram a um acordo – garantem-me até que passado a escrito – para que o ex-observador de jogos da equipa técnica de José Mourinho sucedesse a Carlos Carvalhal como treinador do Sporting. A notícia, que fez manchete neste jornal, não agradou a Villas-Boas, então ao serviço da Académica, e caiu mal em Coimbra, pelo que o visado se apressou a desmenti-la, classificando-a de “palhaçada”. Foi o que os adeptos mais fanáticos dos leões quiseram ler e ouvir para de imediato inundarem... Leia o resto →

De Pepe a Ronnie O’Sullivan

Duas horas, um minuto e 39 segundos é o novo melhor tempo da maratona, conseguido ontem, em Berlim, pelo queniano Eliud Kipchoge, que retirou ao anterior máximo um minuto e 18 segundos. Eis uma bela oportunidade para recuar 33 anos e lembrar Carlos Lopes, então campeão e recordista olímpico – e campeão do Mundo de corta-mato – que em Roterdão, a 20 de abril de 1985, bateu também o recorde mundial da maratona. O início da glória olímpica e global no atletismo português, desafortunadamente afastada hoje das provas de fundo... Leia o resto →

Rui Vitória até Seferović recuperou

Um dos temas fortes da semana finda foi a reação de Rui Vitória no final da partida decisiva com o PAOK, que ditou o apuramento do Benfica para a Champions. As declarações do técnico visaram críticas de alguém que não foi mencionado, o que fez com que pessoas mais sensíveis aproveitassem para destratar Vitória. Tudo serve, é uma sina. Também não percebi a quem era dirigido o recado, nem me interessa. O que conta é que o Benfica se qualificou, o que é bom para o futebol português. E o... Leia o resto →

Da egomania de Cristiano a Zidane e aos egos ocos no Sporting

A primeira semana do divórcio de Cristiano Ronaldo com o Real Madrid foi fértil em apoios ao jogador e críticas a Florentino Pérez, não faltando também o fel largado pelos muitos inimigos de CR7, que aproveitaram o que consideram uma oportunidade: pode ser que desta vez lhe corra mal. Pela minha parte, mantenho a ideia de que se tratou de um erro, cometido em simultâneo pelo craque e pelo emblema merengue, que se separaram talvez por motivos diversos mas seguramente por um: Cristiano e Florentino perderam a paciência um com... Leia o resto →

O maior erro da vida de Cristiano Ronaldo

Escrevo esta crónica após três dias a ouvir e a ler que a contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus estava “por horas”. Vou admitir, assim, que o leitor continue hoje à espera daquela que será uma boa notícia para a Juventus e para Jorge Mendes, mas péssima para o Real Madrid e para o craque português. Para o clube porque renuncia, estupidamente, à sua maior referência, um jogador na plena posse das raríssimas capacidades que o tornam único e que marcou, em nove épocas, 451 golos em 438 jogos –... Leia o resto →

Cristiano e Messi: o mais forte de todos e o melhor da história

Vejo como um caso de estudo que a justa euforia em torno do histórico desempenho de Cristiano Ronaldo, frente à Espanha, seja acompanhada por críticas absurdas a Lionel Messi, por não ter convertido um penálti e carregado a seleção argentina às costas. Vão ser esses os comentadores que amanhã, se Cristiano estiver mais apagado face a Marrocos e Messi fizer um jogo ao seu nível contra a Croácia, dirão ou escreverão precisamente o contrário do que fizeram nos últimos dias. Tantos anos a ver futebol sem entenderem que, num minuto,... Leia o resto →

Jogámos a passo, devagar e devagarinho, à espera do mesmo de sempre

A bola sobe fora do alcance do mais alto da barreira, Piqué, faz a barba a Busquets, que estica a cabeça em desespero sem lhe conseguir tocar e desce para a gaveta de De Gea, incapaz de reparar, com uma defesa impossível, o seu erro descomunal no segundo golo de Cristiano: e assim fez o capitão, ao cair do pano, o imerecido empate para Portugal. Imerecido não é talvez o termo adequado porque no futebol não há justiça e os protagonistas é que contam, sejam 11 ou apenas um, como... Leia o resto →

Obrigado, querido Sergio Ramos!

Carles Puyol, lenda viva do Barcelona e da seleção espanhola, convida os responsáveis catalães à reflexão: com o melhor Barça da história, como pôde o Real Madrid ganhar quatro das cinco últimas ligas dos Campeões? A resposta imediata será a do talento. Zidane soma nove títulos conquistados em dois anos e meio – e isso é matemática, como diz aquele divertido senhor na televisão. Haverá outra explicação: é que se existem camisolas que ganham jogos, elas são do Real. A final de Kiev foi, aliás, um exemplo desse fenómeno. Acossados... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top