Duelo de estrelas

Neste desinteressante agosto televisivo, a luta pelas audiências das noites de domingo trouxe-nos duas novidades: a afirmação definitiva do talento de Andreia Rodrigues, na apresentação de “Cante se puder”, na SIC, e a resposta à dúvida sobre a capacidade de condução solitária de um programa por parte de Cristina Ferreira. No que julgo ser o seu primeiro trabalho de relevo sem Manuel Luís Goucha, Cristina tem-se imposto em “Dançando com as estrelas”. O seu estilo brejeiro, talvez até demasiado popular, parecia não estar a “passar” na edição seguinte à da... Leia o resto →

O secretário temerário

Joaquim Pais Jorge tem fama de competente, pelo que se percebe que tenha sido vítima dos “Rasputines” da corte, hoje donos do país: os do PSD, que atacaram o PS com o escândalo dos “swaps”, e os socialistas, que retaliaram com o currículo recente do ex-secretário. Caído no alçapão da “baixeza política”, não espanta que o supliciado esperneasse, tentando sobreviver, mas não se percebe, nestes tempos em que o marketing fabrica o que quer e as imagens desfocadas desfazem carreiras, a impreparação temerária com que Pais Jorge enfrentou os jornalistas.... Leia o resto →

Um grande reportagem: 18 minutos admiráveis na SIC Notícias

Na passada quinta-feira, a SIC Notícias transmitiu uma reportagem de Henrique Cymerman, que “à boleia” do rabino argentino Abraham Skorka visitou o Papa, na sua residência opcional do Vaticano, a Casa de Santa Marta. Foram 18 minutos admiráveis, a maior parte dedicada à entrevista do repórter israelita a Skorka e a um notável debate, realizado há seis meses, entre o rabino e o então cardeal de Buenos Aires. A peça vale, acima de tudo, pelo diálogo informal de Cymerman com Francisco: o Papa despede-se e logo volta atrás, a fim... Leia o resto →

Que ricos amigos tem Passos Coelho

Depois dos chumbos do Tribunal Constitucional e das ameaças de Paulo Portas caso avance a “TSU dos reformados”, as garras de Vítor Gaspar parecem ter-se metido um pouco para dentro. Mas estamos para saber se isso é bom ou mau, pois o pior que Passos Coelho pode fazer é ceder às pressões e governar aos ziguezagues. Se duvidar das suas convicções, então que se demita. Espero que não se chegue de novo, por falta de coragem política e ao cabo de tanta austeridade e tanto sofrimento, a comparações com a... Leia o resto →

Big é o Splash!

Para combater as audiências do “Big Brother”, a SIC lançou “Splash! Celebridades”. E não ficou longe, já que registou, na estreia, 1,4 milhões de espectadores “contra” 1,6 milhões do “reality show” da TVI, diferença que se manteve no último domingo. Surpreende-me o êxito de um programa que tem qualidades e é premiado por isso, quando nos habituámos, antes, a ver reconhecida a estupidez e aplaudidos os deméritos. É que na piscina do Jamor não se promove a boçalidade, ainda que Júlia Pinheiro tente, por vezes, imitar Teresa Guilherme na brejeirice... Leia o resto →

Minha cabeça estremece com todo o esquecimento

Os canais estão cheios de comentadores e os da política ou da economia são como os do futebol: há os bons e os que não nasceram para aquilo. Na análise da atualidade vejo, entre tantos curiosos, gente com qualidade, mesmo para além do indiscutível quinteto Marcelo-Sócrates-Vitorino-Mendes-Sousa Tavares, que ouvimos sem nos ficar a sensação de “nonsense” que por vezes resulta das intervenções de outros. Permito-me, assim, destacar dois analistas que tento não perder: o sempre brilhante Medeiros Ferreira, que puxa as audiências para cima na CM TV com a sua... Leia o resto →

Brasileiros a mais nos Globos de Ouro

Os Globos de Ouro constituem uma excelente iniciativa que devia levar a que mais grupos e instituições distinguissem igualmente o mérito e as carreiras. Não somos muitos, nem tão maravilhosos assim que possamos dispensar o incentivo do reconhecimento. Só é pena que os prémios da SIC pouco ultrapassem as “fronteiras” da estação, caindo na pecha nacional dos “sempre os mesmos” e suscitando, também por isso, a indiferença dos “outros”. Ausências como a de José Mourinho provam que os Globos precisam de subir mais um degrau na escala da utilidade, ou... Leia o resto →

Já nem o futebol nos recupera o orgulho perdido

Mais de três milhões de telespetadores viram esta semana, só na SIC, a final da Liga Europa entre Benfica e Chelsea, a maior audiência do ano. Quando o menu do dia oferece futebol e ainda por cima mete Benfica, não há cá telenovelas, nem casas com anormais, nem pão para malucos: a bola comanda a vida. No Arena de Amesterdão estiveram cerca de 20 mil adeptos portugueses, uma mancha vermelha empolgante que só não transportou os encarnados para a vitória porque os imponderáveis do jogo, que são o seu trunfo,... Leia o resto →

Big Brother VIP, o castigo de Deus

O “Big Brother” é um filão inesgotável? Não é. Desaparecerá como tudo aquilo que o tempo tem o poder de aniquilar. Mas teria já os dias contados em Portugal se a batalha da educação, ao contrário do que nos pretendem fazer crer, se não tivesse perdido. Dir-me-ão que jovens licenciados partem diariamente para o estrangeiro em busca de trabalho e de um país que mereça as suas mentes brilhantíssimas. Acredito, mas não é a esses privilegiados, pelo berço ou pelo efetivo mérito das suas capacidades que me refiro, antes à... Leia o resto →

Francisco Penim e Carlos Abreu Amorim: dois casos

Ninguém tem dúvidas sobre o poder da televisão para construir ou para destruir carreiras. O que causa espanto é a inabilidade que pessoas inteligentes revelam para o utilizarem em seu proveito. Com um pequeno intervalo de tempo, testemunhei dois casos opostos. Num deles, na CM TV, Francisco Penim fez os melhores comentários que ouvi nos diversos “diretos” da caça ao homem, após o atentado da maratona de Boston: excelente domínio da palavra, total à vontade perante as câmaras, conhecimento do que falava, um desempenho perfeito. O outro caso foi interpretado... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top