Fim de semana alucinante de futebol

O fim de semana começou bem, com o Manchester City de Pellegrini, um tipo que me irrita, não sei porquê, a perder e a atrasar-se na Premier. A seguir, o Real Madrid derrotou o Barcelona, sem espinhas. Dia perfeito para as minhas cores – e também para o FC Porto, que parece ter sacudido a minicrise. Ganho o sábado, entrei no domingo de mau humor. Primeiro porque o Belenenses precisava de me esclarecer se retomava o prometedor início de campeonato ou se regressava, e eu com ele, ao susto que... Leia o resto →

O próximo mártir

Se disser a alguém que vai morrer, sem adiantar quando (sei lá eu!), tenho 100 por cento de hipóteses de acertar. Ideia estúpida, esta? Sem dúvida, mas igualmente tão burra, oportunista e espertalhona como as críticas absurdas que, durante quatro anos, certos abencerragens da aldeia futebolística fizeram a Paulo Bento, até “acertarem” na sua saída. Críticas envergonhadas e cínicas sempre que levou a água ao moinho – como no Europeu de 2012, em que a Seleção alcançou o 3.º lugar – desabridas e despudoradas quando as coisas correram mal. Aconteceu com... Leia o resto →

O teste de ferro e fogo de Bruno de Carvalho

Aprecio particularmente aqueles comentadores que sabemos ao que vêm, com que partidos simpatizam, que religião professam ou que clube preferem. Não perco, por isso, colunas deste jornal como a que assinou aqui Carlos Barbosa da Cruz, na edição de quinta-feira, e que, essa em concreto, poderia subscrever. O ilustre advogado defendia a firmeza do presidente do seu clube, o Sporting, no diferendo com os jogadores Rojo e Slimani, que recusam cumprir os compromissos que livremente assinaram. Correu-lhes bem o Mundial e julgam adequado fazer o que lhes apetece. Compreende-se a... Leia o resto →

O dilema de Luís Filipe Vieira

Em apenas um ano, a SAD do Belenenses reduziu o passivo de 10 para cerca de 8 milhões de euros, um trabalho ciclópico. Mas a boa gestão de Rui Pedro Soares não apagou as irresponsabilidades do passado e os credores – pouco dados a comover-se com boas práticas – exigem receber de imediato 7,2 milhões dos 8 da dívida, o que levou a administração da sociedade azul a requerer, e bem, o Processo Especial de Revitalização, vulgo PER. E o Tribunal de Comércio de Lisboa já nomeou o administrador judicial... Leia o resto →

Sopram ventos de mudança

O Benfica tarda em encontrar o pé e a impaciência aumenta nas suas hostes. Sinal de falta de qualidade dos “reforços” ou antes uma amostra do que aí vem? Lembro-me sempre de uma Taça de Honra da AFL, em mil novecentos e troca o passo, em que o Benfica foi goleado pelo Belenenses (5-0), na abertura da época, para depois, no campeonato, se sagrar campeão. Tenham calma, não se excitem. Tanto William Carvalho como Marcos Rojo – este depois de um Mundial de altíssimo nível – não têm clubes interessados... Leia o resto →

Jorge Jesus vai ter de voltar ao princípio

O Barcelona gastou 145 milhões de euros em cinco novos jogadores e o Real Madrid 110 milhões só em James e Kroos. É o campeonato dos clubes milionários, esse em que participam os dois gigantes espanhois e no qual não entra, por exemplo, o Valência, que pagou 16 milhões de euros por um guarda-redes cujo currículo se fica por meia época de qualidade no Benfica. Por cá, a capacidade de investimento – ou de esbanjamento – é outra e os “grandes” fizeram compras de 50 e tal milhões de euros,... Leia o resto →

Heroísmo para Tiago Machado e ingratidão para Casillas

Só o “L’ Équipe” francês, ao apelidar de “heroico” o português Tiago Machado, conseguiu encontrar o termo certo – no que aos feitos desportivos diz respeito, obviamente – para a decisão do ciclista, combalido após grave queda, de “fugir” da ambulância e regressar à estrada e à Volta à França… depois de a ter abandonado. Tiago lograra na véspera ascender ao 3.º lugar da geral e juntar assim o sonho do pódio ao sonho de participar no Tour, a mais prestigiada e mais dura prova ciclística do Planeta. Agora, a... Leia o resto →

O “Clube dos 8” ainda tem apenas sete

Partiu mais um, o segundo em seis meses, dos sete maiores futebolistas de sempre, quase no mesmo dia em que nasceu uma oitava maravilha dos estádios. Depois de Eusébio, desapareceu Di Stéfano, aquele que foi para mim o maior e o mais completo jogador de todos os tempos, à frente até de Pelé, Maradona, Cruijff e do nosso “King” – tive o privilégio de ver atuar os cinco. Ao lado desse quinteto estelar estarão já Cristiano Ronaldo e Messi, embora só o final das carreiras possa dar a real dimensão... Leia o resto →

Paulo Bento: o homem para fazer o trabalho

A dificuldade que Bruno Alves teve em levantar-se, no lance do segundo golo dos Estados Unidos, e que permitiu a entrada pouco académica mas vitoriosa de Bradley, exemplificou o drama da equipa de todos nós: condição física de rastos a trair o querer e a vontade de sempre. Depois, na partida com o Gana, ganha com pundonor e aplicação, essa atitude foi mais visível. E bastam as quatro oportunidades flagrantes não concretizadas por Cristiano Ronaldo – e não falhadas porque o guarda-redes também joga e a trave está lá –... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top