Coitado do ministro Cabrita!

Por que será que os países da UE não têm forças militares de intervenção? Por falta de consenso, por convicção política ou apenas por ser muito caro? A resposta é simples: porque a opinião pública de cada país não aceitaria ver chegar as urnas com os seus mortos. Esse foi, aliás, o princípio do fim do regime de Salazar. O ano passado, não foram os incêndios que fizeram tremer António Costa. O mais duro de enfrentar – cujas sequelas só se conhecerão de facto nas eleições de 2019 – resultou... Leia o resto →

E Ricciardi lançou-lhes a bomba atómica…

A CMTV correspondeu como é habitual ao interesse do público e adiantou-se de novo à concorrência, desta feita para organizar o primeiro grande debate entre candidatos à presidência do Sporting. A ausência de três das sete personalidades permitia às presentes sublinhar pontos de vista e destacar-se do pelotão. Mas foi uma oportunidade perdida, já que só Pedro Madeira Rodrigues enfrentou o desafio com alguma técnica de comunicação televisiva: procurando o contacto visual com as câmaras, gesticulando de forma simétrica, variando o tom de voz e disfarçando a raiva. Infelizmente para... Leia o resto →

Os amigos do chefe Costa

Ao lado das 777 mil visualizações da entrevista “intimista” que lhe fez Cristina Ferreira – há quatro meses, para a TVI – a passagem de António Costa pelo último “5 para a Meia-Noite”, da RTP, foi um fracasso: ontem, os seis vídeos publicados no youtube não alcançavam, juntos, 180 mil visualizações. Se este número reflete a baixa popularidade da estação oficial, a verdade é que o público já não se deixa enganar. Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves – excelentes na conversa faz de conta com Jorge Jesus – deram... Leia o resto →

Paisagem paradisíaca, petróleo puro – e o diabo que vem aí

As imagens dos incêndios perto de Atenas falavam por si: as ignições multiplicavam-se como se uma força demoníaca as espalhasse. E confirmavam a tese de que quando a Natureza se enfurece, no caso o calor e o vento, o homem é demasiado pequeno. Claro que os focos iniciais podem ter resultado de mão criminosa, como anunciou o governo grego para sacudir responsabilidades no desordenamento do território, na fragilidade da prevenção, na falta de bocas de incêndio, na proliferação de casas ilegais e na ineficácia da resposta ao caos – lá... Leia o resto →

O Estado é um deserto na hora de fazer cumprir as leis

Notícias davam como sendo sete os feridos, outras referiam nove, mas os repórteres dos vários canais souberam que houve quem aparecesse mais tarde nos hospitais a fazer os curativos, alegando ter caído na escada, ou que meteu o mercurocromo e as ligaduras em casa com receio de ser acusado de participar num crime. As corridas ilegais com viaturas modificadas são um evento habitual aos domingos à noite em Ribeirão, Famalicão, pelo que o acidente provocado por uma jovem de 17 anos, sem carta de condução – e que só por... Leia o resto →

Salazar e a razão de Victor Moura-Pinto

A TVI classifica de “crónica política” umas graçolas sobre um conjunto de “apanhados” de personalidades que percorrem o país. No domingo, na rubrica “Seis por meia dúzia”, do “Jornal das 8”, Victor Moura-Pinto reuniu – e legendou com “mhons”… – diálogos de comes e bebes na Feira de Santarém, em que ficámos a saber que Marcelo gosta de línguas de gato Roveredo, Catarina tem rinite alérgica, Costa acha que o porco preto é o melhor ou que Rio entende que devíamos exportar comentadores. O repórter-cronista ligou os dez minutos (!)... Leia o resto →

Os dois grandes trunfos da CMTV

Tornou-se banal assinalar o crescimento da CMTV, que em junho obteve o melhor resultado de sempre: 4% de share médio mensal. A 14 do mês findo, a estação deste jornal alcançara já 5,7% de share diário, mais que SIC Notícias e TVI24 juntas, e no semestre liderámos em… 181 dias.   Há anos, passei férias num hotel excelente, em que tudo funcionava bem exceto o buffet. A comida era boa e o pessoal atencioso e diligente, mas no meio da confusão provocada por dezenas de utilizadores em simultâneo a descoordenação... Leia o resto →

Elogios de amigos em “Conta-me como és”

O êxito do “Alta definição”, na SIC, cuja fórmula permite a Daniel Oliveira o distanciamento que faz dos entrevistados os efetivos protagonistas, leva a que outros comunicadores se atrevam a tentar a sua sorte no género. Foi o caso de Fátima Lopes, cuja popularidade a TVI aproveitou para lançar “Conta-me como és”. A apresentadora, com o jeito peculiar que a distingue, criou uma espécie de clube de amigos, em que as entrevistas – que ela classifica de “intimistas” – se transformam em sessões de elogios mútuos, a que Fátima soma... Leia o resto →

Espuma dos dias

A pobre exibição da Seleção paira como um sonâmbulo que espera por segunda-feira voltado para o autocarro de Carlos Queiroz. A crise do Sporting voltou a dominar os debates, com o “happening” de ontem a tomar largas horas de transmissões televisivas. Infelizmente, os ânimos extremaram-se tanto que o apelo de Rogério Alves para se “abolir a linguagem bélica” caiu em saco roto e a violência anda no ar. E nesta questão de abuso de palavreado e postura agressiva, a culpa é menos da marginalidade e mais de quem se admitia... Leia o resto →

A pobreza das marchas populares na RTP

Foi o quarto programa mais visto de terça-feira, com 758 mil telespectadores – à frente de “Secret Story”, da TVI – e o segundo em “share”, a seguir à novela “A herdeira”, também da TVI. A transmissão das marchas populares deu à RTP um pico do “glamour” que há tanto tempo se foi. Um dos motivos dessa perda esteve, aliás, patente na noite de Sto. António, com a forma pouco imaginativa, para não dizer desleixada, como o canal acompanhou o desfile. No início de cada apresentação, um grafismo “naif” apontava... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top