Manuel Luís Goucha ganhou a aposta

Em fevereiro, na véspera da estreia da sétima edição de “Secret story”, escrevi aqui que Manuel Luís Goucha, para alcançar um novo êxito sem sacrificar o seu prestígio profissional, teria de ultrapassar um dilema: promover o asneiredo e a rasquice, e assim puxar pelas audiências, ou subir o nível e perder público.

Seis semanas decorridas, com lideranças sucessivas e outro primeiro lugar no “top 10” no último domingo, com 1,21 milhões de telespectadores, podemos afirmar que Goucha não só aumentou a popularidade da “Casa dos segredos”, em relação à anterior edição, como melhorou a qualidade dos conteúdos, ou seja, encontrou a tal “terceira via” que parecia impossível.

Calculo que o apresentador haja participado na escolha dos concorrentes, mas a produção do programa estará sempre de parabéns por ter feito a seleção num patamar acima da boçalidade, barrando com isso os grunhos “residentes” que tomavam conta da baixaria e lhe davam gás, incentivados pela condutora de serviço.

E como também na chamada “noite das nomeações”, Goucha fez com que a TVI ultrapassasse já o milhão de espectadores – 1,04, na terça-feira, 27 de março – torna-se indiscutível o mérito com que venceu o desafio. O resto é zero.

Antena paranoica, Correio da Manhã, 7ABR18

Partilhar

Os comentários estão fechados.