Dois terços do futebol português estão no norte do País

A descida ao Nacional de Seniores de quatro equipas do sul do País – Oriental, Atlético, Mafra e Farense – e apenas uma do norte – a Oliveirense – acentua ainda mais o domínio geográfico nortenho do futebol português. Na próxima época, estão garantidas no escalão secundário 13 emblemas do norte, contando já com um promovido, Vizela ou Fafe, um do centro, a Académica, um dos Açores, o Santa Clara, e cinco do sul – Benfica, Sporting, Portimonense, Olhanense e o já promovido Cova da Piedade.

Completarão os 22, o Tondela, o União da Madeira ou o Vitória de Setúbal, aquele que descer da liga principal, mais o terceiro a subir do Nacional de Seniores, que poderá ser Vizela, Fafe, Casa Pia, União de Leiria ou 1.º de Dezembro. Admitindo a pior das hipóteses para a minoria sulista na segunda liga – descida do Tondela e subida de Fafe ou Vizela – ficariam na época de 2016/17: as já referidas cinco equipas do sul, mais a Académica, o Santa Clara e… 15 (!) equipas do norte, 68% do total.

Quanto à I Liga, veremos como é ainda hoje. Para já, sobem da II Liga duas turmas do norte, Chaves e Feirense, pelo que na pior das hipóteses para as hostes do sul – o V. Setúbal juntar-se à Académica na descida – ficariam no escalão principal as quatro equipas do distrito de Lisboa, mais três da Madeira e… 11 (!) do norte, 61% do total. Moral da história: mais coisa menos coisa, dois terços do futebol português assenta arraiais a norte. A tendência, que vem de há muitos anos, acentua-se.

Uma nota ainda para lamentar a descida ao Nacional de Seniores de três clubes históricos do futebol português – Oriental, Atlético e Farense – e para sublinhar que as investigações policiais em curso podem ter, para além de consequências criminais – e caso se venham a confirmar as suspeitas já conhecidas – influência na organização dos campeonatos profissionais da próxima temporada, em especial no que se refere ao Leixões, que descerá, e à União de Leiria, que não subirá – mais dois emblemas com história.

Finalmente, um voto: que não se confirmem os indícios de crime ao menos no caso de um dos detidos, o guarda-redes Rafael Veloso, que o Belenenses emprestou esta época ao Oriental. Trata-se de um jogador de 22 anos, com 1,92m e invulgares capacidades para a defesa das balizas, que fez a sua formação no Sporting e foi mais de 20 vezes internacional nas seleções nacionais jovens. A confirmarem-se as suspeitas que recaem sobre si, verá comprometida uma carreira que poderia brilhante.

Partilhar

Os comentários estão fechados.