A polícia já anda de comboio

Desgastado pelo verão horrível e pelas imparáveis sequelas do roubo de armas em Tancos, o Governo “estacionou” nos 40 por cento nas sondagens quando devia estar já no limiar da maioria absoluta. É certo que a agressividade de Passos Coelho – que todos os dias encontra forma de criticar António Costa – e a boa campanha de Assunção Cristas na corrida à câmara da capital também não têm facilitado a vida ao PS.

Mas o que falha demasiado no Executivo é a estratégia de propaganda – em que tem muita fama de que pouco tira proveito – que cavalgue não só a recuperação de rendimentos como os bons ventos que sopram para os indicadores económicos. Porque no lado contrário tem havido inteligência no aproveitamento das más notícias que sempre aparecem. A última, por exemplo, é uma catástrofe para Costa e companhia: a PSP tem cerca de 700 (!) viaturas inoperacionais, à espera de reparação, e até as forças de intervenção já vão de comboio acudir a emergências.

Em tempos em que a insegurança tanto aflige as pessoas, não existirá em São Bento quem se lembre de ir buscar 4 ou 5 milhões de euros a um fundo de calamidade para atacar uma estúpida negligência que, abrindo telejornais, dinamita a imagem de qualquer governo?

Há uns bons 20 anos, um repórter-fotográfico português, em serviço especial num país africano, foi vítima de roubo: levaram-lhe uma máquina enquanto bebia café numa esplanada. Vendo por perto um polícia, queixou-se e apontou a direção seguida pelos jovens em fuga. Mas o agente não lhe deu esperanças, alegando que teria de esperar pelo autocarro para ir atrás deles e que, por isso, já não os conseguiria apanhar… Lembro-me que na redação nos rimos imenso com o caso, longe sequer de calcularmos que um dia, neste recanto civilizado e europeu, poderíamos vir a ouvir idêntica desculpa. E pelo exposto atrás… já faltou mais!

Antena paranoica, Correio da Manhã, 16SET17

Partilhar

Os comentários estão fechados.