A diretora de “social” que percebe até de bola

A Luísa, com o jornalista Paulo Abreu e o gráfico Carlos Antunes, exibindo o Prémio M&P de 2017 para a Melhor Revista de Televisão, a “TV Guia”

Caía o ano de 1997 quando conheci a Luísa Jeremias nas instalações do extinto diário 24horas, então a constituir a equipa de jornalistas. Foi um contacto breve porque eu era chefe de redação e deixei de ser, e ela em breve regressaria a A Capital. Reencontrámo-nos em 2001, quando fui dirigir o Tal&Qual e a convidei para chefiar a equipa redatorial.

Segurámos a barra – ajudando também a fazer renascer o projeto do 24horas, que agonizava – até ao final de 2002, altura em que eu já negociava a minha transferência para o Record. Ela disse-me então que precisava de um novo desafio e que ia aceitar o convite para diretora da revista TV 7Dias, que ficara sem o Nuno Farinha, recrutado pela Cofina para a TV Guia.

Em 2008, num processo que pude acompanhar de perto, a Luísa viria por sua vez a ser contratada pela Cofina para liderar a TV Guia, que Nuno Farinha entretanto abandonara para ser diretor adjunto do Record, veja-se as voltas que a vida dá… E no início de 2009, ela acumulou o cargo com o da direção da Flash!, o que ainda hoje acontece.

Este ano, a TV Guia ganhou o prémio de melhor revista de televisão e a Flash!, que passou para o digital, lidera no seu segmento de mercado. Como se fosse pouco, a Luísa, que na última jornada da Liga acertou nos três resultados certos – uma raridade em 14 anos de TotoRecord – estará na sexta-feira 20 à frente dos especialistas do desportivo cá da casa. Sim, duas décadas depois, ela percebe de bola. Perceber não percebia, mas até isso aprendeu!

Parece que foi ontem, Sábado, 12OUT17

Partilhar

Os comentários estão fechados.