Bruno Lage, o flautista da Luz

Foi uma semana não direi de punhos de renda mas de alguma sensibilidade cívica, manchada apenas pela ação dos grunhos que apedrejaram a camioneta dos encarnados ou dos ativistas noturnos que terão lançado uns foguetaços junto ao hotel onde pernoitou o Benfica. É uma espécie de lepra sem cor da qual dificilmente nos livraremos enquanto o Estado, as escolas e as famílias se mantiverem unidos no confortozinho suicida de fechar os olhos à realidade. Mas indo aos que contam no futebol, a verdade é que os dirigentes falaram pouco –... Leia o resto →