O Abel, as algemas, a rolha e a Venezuela

Antes da meia-final da Taça da Liga, Abel Ferreira disse: “Vou passar a ver os jogos com algemas”. Tratava-se, obviamente, de uma graça, mas depois da figura que fez na conferência de imprensa a seguir ao desafio com o Sporting, o treinador do Sp. Braga precisava era de uma rolha na boca. Durante e após os jogos. Durante, para não se pôr aos gritos, exasperado pela anulação de um golo, sem ter visto sequer as imagens do lance. Protesta porquê? Só porque sim? E no final dos jogos a rolha... Leia o resto →