O Dyane que puxava um atrelado: e com eles cheguei a Andorra!

Uma reportagem recente da SÁBADO, que explicava como se chegava ao Algarve há 40 anos, remeteu-me para esses tempos quase pioneiros – da vida de que desfrutamos hoje – em que estradas estreitas, esburacadas e com demasiadas curvas faziam com que qualquer viagem, fosse para norte ou para sul, constituísse uma proeza. Rendido, até hoje, aos encantos do icónico Citroen 2CV, adquiri em 1979 a sua versão melhorada – eu sei que melhorada é discutível – o Dyane. Era um modelo azul-escuro, descapotável e com uma suspensão fantástica, que me... Leia o resto →