Jorge Jesus e Luisão: duas entrevistas marcantes

Os que têm juízo aforram o mais possível, sabendo que a inatividade é certa: nos jogadores, uma carreira normal acaba entre os 33 e os 35 anos, nos treinadores médios trabalha-se hoje mas amanhã não se sabe. É, assim, natural que os profissionais do futebol sejam uma espécie de gente estranha, geralmente desconfiada e fechada no seu casulo de incerteza permanente. Ainda que a internet e as redes sociais, que mudaram a vida de todos os dias – e as mulheres, as “esposas” de ontem, justiça se lhes faça! –,... Leia o resto →

Lei tão banana como alguns juízes

Está a tornar-se numa triste moda em Portugal a violência sobre polícias, consequência da brandura da lei que não contempla o severo agravamento das penas quando as vítimas são elementos da autoridade. Daí que aos vídeos de desacatos da noite ou de rixas nas escolas se juntem na TV imagens como aquelas em que se vê um agente a ser agredido, perante o desespero de uma colega – impedida de ir à luta por falta de arcaboiço, de preparação e de meios de dissuasão –, a indiferença de alguns cobardes... Leia o resto →

A DONA que abriu a porta da imprensa cor de rosa

Em 1990, se a memória não me trai, a TV Guia e a Nova Gente vendiam mais de 200 mil exemplares por edição. Uma tratava exclusivamente de televisão e a outra encontrara uma fórmula de êxito sui generis, entre temas de sociedade e a atualidade, com uma pitada de social. De tal modo, que o editor Jacques Rodrigues repetia o discurso a cada novo diretor que entrava – e era sempre a bombar: “Você aqui não mexe em nada, fecha isto todas as semanas tal e qual como está”. Sentindo... Leia o resto →

O que falta no futebol português é um gesto de grandeza

Tive de chegar ao final da entrevista de Rui Pedro Soares, na edição de Record de sábado, para encontrar a melhor frase do seu depoimento e uma das poucas em que o discurso me pareceu razoável: “Estamos a fanatizar uma geração!” Imediatamente antes, o diretor da SAD azul justificava a opinião com “o mal que está na ser feito ao futebol e o ódio que está a ser introduzido”, por culpa dos três “grandes”, diz, e da “guerra mediática” que promovem e que “prejudica” os outros 15 clubes da liga.... Leia o resto →

A bÁctéria indestrutível

Ninguém está livre da asneira: escreva-se ou fale-se, há sempre uma fresta por onde entra o erro. Nas televisões, porque a visibilidade é maior, a ignorância e a falta de rigor abundam. E ainda esta semana, um desses plumitivos transformados pela ordem caceteira em “diretores de comunicação” surgiu, com recorte doutoral, a utilizar um termo inexistente: a “catrefada”. Mas o mais preocupante é que já nem pivôs de telejornal escapam – há dias, um recuperou a celerada “rÚbrica” – e são mesmo eles, pela montra em que dão exemplo, quem... Leia o resto →

Dez anos depois, a verdade sobre Ricardinho, ah, pois é!

Na sua página do Facebook, o jornalista Nuno Farinha, diretor adjunto do Record, prova como estava certa uma manchete que fizemos há 10 anos, que o Benfica muito contestou e que fez com que os energúmenos do costume nos dirigissem os impropérios que os distinguem das pessoas normais. Aqui reproduzo, com a devida vénia, o texto do Nuno. E quanto aos anormais, é aumentar a medicação. A VERDADE 10 ANOS DEPOIS Em junho de 2007, o Record fez uma primeira página que garantia que Ricardinho, o craque do futsal do... Leia o resto →

Marcelo em minha casa

Nos dois anos da “colaboração institucional” com António Costa, a popularidade de Marcelo Rebelo de Sousa foi extraordinária. Só terá caído um pouco (terá?) a partir do dia em que o PR teve de apontar um caminho ao Governo e este se apressou a segui-lo, permitindo depois o PS que figuras menores mordessem nas canelas do Presidente, em nome da “liberdade de expressão” – que tem as costas largas. Mas a maioria das pessoas é mais influenciada pela realidade que lhe chega através da televisão do que pelas manobras da... Leia o resto →

Benfica melhora e Felipe tem valor acrescentado

O Benfica continua a melhorar na Liga, subindo de rendimento e mantendo-se como forte candidato ao título – afinal, o Sporting tem apenas mais um ponto. E isso acontece porque, para consumo interno, as saídas não compensadas de jogadores nucleares são disfarçadas pelos múltiplos recursos que sobraram e pela “engenharia futebolística” de Rui Vitória, que tudo aceita com generosidade e tudo resolve com voluntarismo. Mas a Champions é outra coisa e aí o desinvestimento não pode ser maquilhado: quatro jogos, quatro derrotas, um só golo marcado e até a Liga... Leia o resto →

É triste fazer de “Ellen” dos pobrezinhos

Ao serviço do “Queridas Manhãs”, da SIC, a economista Florbela Oliveira avançou para Alambique, Tondela, ao encontro do pedido de ajuda de uma família que perdeu quase tudo. Sobrou a casa principal, onde hoje vivem nove pessoas, salva à “mangueirada” pelo patriarca do agregado. Reduzida a cinzas ficou ainda a pequena ordenha que constituía a base do sustento – e desapareceram as 130 ovelhas e o seu pastor. Naturalmente tocada, a repórter ocasional acabou abraçada a uma das vítimas e garantiu: “Sou chata como a potassa, sou terrível, miudinha e... Leia o resto →

Off-Side: o patinho feio chegou há 35 anos

No início da década de 80, A Bola vivia um período áureo, e a Gazeta dos Desportos e o Record lutavam mais para sobreviver. Em outubro de 1982, quando a editora CEIG lançou um semanário sobre desporto, o Off-Side, com uma linguagem diferente e conteúdos inovadores – nós dizíamos ser o outro jornal – os desportivos clássicos olharam para o recém-nascido com indiferença e sobranceria: disto só nós é que percebemos, o que é que estes tipos querem agora? Dos tipos, eu era dos mais velhos, havia muita malta nova... Leia o resto →

« Entradas mais antigas

 
Back to top